Acupuntura: o conhecimento chinês que uniu os profissionais de saúde brasileiros

As agulhas chegaram para revolucionar o sistema de saúde no Brasil. Essa pode ser a impressão causada em quem participou do I Fórum pela Acupuntura realizado em Balneário Camboriú nos dias 15 e 16 de agosto passado, visto o sucesso que foi o evento, tanto técnica quanto politicamente. Entretanto essa afirmação não é de todo verdadeira, pois a acupuntura já está presente no Brasil há várias décadas e, ainda há muito trabalho por fazer para revolucionar nosso sistema da saúde.

Autor: André Luiz Picolli da Silva – Psicólogo CRP 12/03676
As agulhas chegaram para revolucionar o sistema de saúde no Brasil. Essa pode ser a impressão causada em quem participou do I Fórum pela Acupuntura realizado em Balneário Camboriú nos dias 15 e 16 de agosto passado, visto o sucesso que foi o evento, tanto técnica quanto politicamente. Entretanto essa afirmação não é de todo verdadeira, pois a acupuntura já está presente no Brasil há várias décadas e, ainda há muito trabalho por fazer para revolucionar nosso sistema da saúde.

Autor: André Luiz Picolli da Silva – Psicólogo CRP 12/03676
Para a Psicologia, porém, a acupuntura é uma novidade, sendo reconhecida pelo CFP, como prática do psicólogo somente no ano passado. E o que é essa “acupuntura” que, de repente converteu-se no foco de atenção para muitos psicólogos? A acupuntura pode ser vista sob várias óticas diferentes, sob uma ótica cultural, como produto de uma civilização diferente da nossa, sob uma ótica da saúde, como uma forma prevenção e terapêutica simples e eficaz, sob uma ótica mítica e histórica, com sua origem sendo atribuída ao lendário Imperador Chin-Nong e, sua compilação e organização atribuídas a Huang-ti, o famoso Imperador amarelo.

Entretanto, para nós psicólogos profissionais da área da saúde do século XXI, interessa saber, que a acupuntura é uma técnica terapêutica milenar, de origem chinesa, que visa prevenir doenças e restabelecer a saúde do organismo como um todo. Essa técnica passou por altos e baixos em seu próprio país de origem como, quando foi combatida no governo de Sun Yat-Sem (que havia sido educado no ocidente), sendo retomada pelo governo comunista de Mao Tse-Tung. Não obstante os percalços de sua própria história, a acupuntura chegou até o Brasil do 3° milênio e, está servindo agora, para uma causa maior que a terapêutica da um corpo, está servindo ao restabelecimento da uma sociedade pois, uniu várias categorias de profissionais em torno de uma luta em comum: a saúde do povo brasileiro. Como ficou evidenciado no Fórum de Balneário Camboriu.

Os fisioterapeutas, enfermeiros, terapeutas ocupacionais e psicólogos uniram-se, aparentemente, no Fórum pela Acupuntura, para lutar pelo direito de utilizar essa técnica chinesa em suas práticas profissionais. Mas na verdade essa atitude revela a disposição desses profissionais para lutarem por uma causa bem maior que a simples utilização de uma técnica, ou seja, a luta pela promoção da saúde de forma irrestrita a toda a população, repudiando o Plano de Lei – 025 que serve para pouco mais do que usurpar toda a sociedade brasileira.

A disposição de tornar a acupuntura uma prática irrestrita a todos os profissionais da área da saúde, pode ser entendida desse modo, como um movimento contra o ato médico, pois trás na sua essência os próprios princípios da acupuntura, ou seja, atuar sobre um ponto específico para que isso se reflita sobre um todo maior. Entretanto, assim como na acupuntura, atuar sobre um único ponto pode não ser suficiente, é preciso agir em vários pontos simultaneamente como, por exemplo, na luta por um SUS digno e eficiente e, por uma igualdade salarial e de condições de trabalho entre os profissionais de saúde no setor público. Enfim, é possível afirmar que, unidos na luta pelo direito de exercer a acupuntura, os profissionais de saúde colocaram mais uma agulha em mais um ponto que, assim como os outros pontos, é de vital importância para a saúde de todo o organismo que é a sociedade brasileira.

Comments are closed.