PSYU Nº2 – CULTURA – Abril/2000

Sapientia (Livro)
Segue uma dica aos que gostam de poesia e aos que se inquietam com a lógica da existência. A Máquina do Mundo, poema de Carlos Drummond de Andrade. Rara ocasião em que o poeta se defronta com o mistério e vê diante de si a explicação da vida e sua lógica, em toda sua complexidade. O poeta vê a estranha ordem geométrica de tudo: os pensamentos, a natureza dominada, as paixões, os impulsos e os tormentos, tudo o que define o ser terrestre e se prolonga às plantas e minérios, os enigmas, as verdades, a memória e o sentimento de morte, tudo. Aos seus olhos, entregue ao seu engenho todo o conhecimento essencial, mas ele, humano, recusa. Não por outro motivo, que não o de ser humano, de vontade volúvel, semelhante às flores reticentes em si mesmas abertas e fechadas.
RAFAEL ARAÚJO É ALUNO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DA PUC-SP
————————————————————–

Claquete (Cinema)
Quero ser John Malkovich – Um dos filmes mais originais e surreais produzidos no ano passado. Seu roteiro circulava em Hollywood por mais de uma década com o estigma de “infilmável”. Craig é um manipulador de marionetes que consegue um emprego no sétimo andar e meio de um edifício em Nova York. Descobre num canto empoeirado do escritório um portal que leva ao cérebor de John Malkovich, antes de ser despejado às margens de uma rodovia que leva a New Jersey. Começa a ganhar dinheiro alugando o corpo e a mente do cineasta por quinze minutos, pela quantia de duzentos dólares. E a história não para por aí, ainda tem muita esquisitisse por vir.
MAURÍCIO SALLES, EDITOR DO PSYU
————————————————————–

CONTO

Breve história da riqueza do homem

1974. Ambos sentiam-se completos. Ele, que nunca sonhara com tamanha felicidade, não cabia em si. Ela, mais experiente no que se refere às coisas do coração, do espírito e da nova ordem mundial, via segurança e estabilidade no futuro, previa maior seriedade no relacionamento. Não parece original, mas o amor segue fórmulas convencionais. Às vezes mudam-se os nomes.

Era uma mulher prática e determinada. Aos 27 anos, já possuia invejável currículo profissional e elevado cargo em uma firma de advocacia. Surpreendentemente, equilibrava o seu Yin e Yang: amava, amara, era amada, com franqueza e paixão.

Opostos.

Fotógrafo, deveria viver flutuando pelo mundo, desprender as estrelas do céu. Mas não: tinha medo. Temia sem demonstrar e sem ser temido; imaginava prezar sua masculinidade. Tão inteligente, falava coisas tão lindas… Foi lógico para ela constatar que estava apaixonada.

A surpresa veio com o tempo. Aliás, veio com uma proposta de trabalho no exterior. Grandes chances, grandes sonhos. Ela, advogada bem sucedida. Parecia possível que tivesse mais sonhos?

Ele não quis.

Ele, que como uma sombra azul poderia desprender as estrelas do céu, não quis. Ela amava, ele temia.

Amor e medo. Parece possível que vivessem juntos?

1994. Grisalho, a única coisa que possui é uma fotografia: mulher ruiva, amada e determinada.

Mentira.

Ele tem pensamentos a lembrá-lo de todos os momentos em que teve a mulher da fotografia, mulher plena, ao seu lado, falando sobre as estrelas e as grandes chances. Mas isso não importa. Ele tem a si mesmo, tem sua dor e seu arrependimento. De que mais poderia precisar?

Seus nomes eram Alex e Estela.

Escrava vida capital.

Despertar, calçá-los, apressar-se, engasgar, correr. Vestir-se, embolsar-se, correr. Onibusar, transitar, chegar. Pontuar, bondiadá-lo, atendê-lo, ouvi-lo. Maquinar-se e datilografar, concordar, computadorear, apressar-se, desesperar-se, cafear. Canetar-se e escriturar, descanetar-se e ouvi-la. Faxear, arquivá-los, apressá-los, desesperá-los. Datilografar, correr, telefonar, atender e obedecer. Aguar. Embolsar-se, pontuar, andar, desembolsar-se, almoçar, apressar, telefonar, caraenfear. Temperá-la, comer, pagar. Voltar. Pontuar, boatardeá-lo, desembolsar-se, sorrir. Canetear-se e anotar, ouvir, servir, cafear, faxear, aguar, canetar-se e escriturar, servir, computadorear, apressá-los, apressar-se, servir, telefonar. Concordar, calculadorear, cadernousar, arquivar. Cafear e aguar. Correr, faxear, telefonar. Boanoitedá-lo e embolsar-se. Pontuar, sair. Apressar-se, apressar-se, apressar-se. Apressar, apressar, apressar, apressar-se… Apressar, cuidar-se, cuidar-se, apressar, apressar, cuidar, apressar-se. Ruatravessar, cuidar, olhar, apressar, cuidar… Se.

Desapressar. Adormecer para não despertar.
POR JULIANA IGLÉSIAS

,

Comments are closed.