Revista PSYU Nº8 – Coluna POLÊMICA – Junho/2001

Os profissionais psis da área de saúde devem se envolver nas políticas públicas de saúde?
Os profissionais psis da área de saúde devem se envolver nas políticas públicas de saúde?
Penso que, aos profissionais “psis”, é muito importante entrar nas políticas públicas de saúde, pois nós trabalhamos dentro da política pública de saúde.

É de suma importância que nós entremos com argumentos bem dirigidos e com uma maneira bem própria de argumentá-los, com o objetivo de demonstrar ao poder público que o serviço de psicologia é sério, surte resultados e é de vital importância à saúde, independentemente de qual seja a doença.

Além do que somos nós uns dos mais indicados, junto ao marketing, publicidade, antropologia, a realizarmos campanhas de conscientização sobre saúde mental, e física (além de outros níveis). Afinal, sabemos mexer com o povo muito melhor do que a maior parte dos médicos.

Meu primo é médico cirurgião e, numa conversa, ele disse-me: “…afinal de contas este teu ‘negócio’ é mais filosofia do que outra coisa”. Mesmo sendo ele alguém que reconhece um pouco o nosso trabalho nos hospitais e instituições de saúde, olhem o que ele disse: ” … é mais filosofia do que outra coisa.” Ora, não podemos nos deixar por baixo e sem ação.

Devemos não apenas mostrar o nosso trabalho, devemos fazer com que seja visto pelas massas, devemos ser requisitados por elas, o povo deve nos querer, e somente assim conquistaremos o nosso lugar devido de respeito enquanto profissionais e ao bem que fazemos a quem sofre nos hospitais.

E é por isso que devemos nos envolver nas políticas, para dizer: espere aí, e nós???
AKIM ROHULA NETO, ESTUDANTE DA PUC-PARANÁ
————————————————————–

As políticas públicas de saúde (ou a falta delas) determinam o agir do profissional em diversas instâncias, seja no atendimento ao usuário ou no trabalho de organização e elaboração de metas com a equipe de saúde.

O desconhecimento dos fatores que constituem essa realidade leva, fatalmente, o psicólogo a um agir descompromissado, cristalizado e alienado. Garantir o espaço de interlocução do psicólogo com os órgãos públicos é, a meu ver, o primeiro passo para a mudança nesse triste quadro.

Desse modo, também se contribuiria para a construção da identidade do profissional psi enquanto agente transformador e promotor de saúde.
ADRIANA EIKO MATSUMOTO, ESTUDANTE DA UNESP – BAURU
————————————————————–

É fundamental que os psicólogos da área da saúde interfiram nas políticas públicas, pois nós enquanto executores devemos ser co-autores no ato de elaboração e organização destas. Mas além disto a participação social, tanto em âmbito político partidário como em outros espaços é fundamental e necessário para que possamos, enquanto psicólogos, deixarmos de ser uma categoria profissional tão afastada da realidade social, econômica e cultural de nossa sociedade.
Psicólogos deste Brasil, sejamos mais realistas e humanos para brasileiros, entendam estes por aqueles que representam 98% da população…
ANDRÉ MICHELATO
————————————————————–

Penso que sim. Segundo a OMS(Organização Mundial de Saúde), saúde é o bem estar, físico, mental e social. Se partimos deste pressuposto, como não nos inserirmos neste contexto?
FRANCIS C. DE SOUZA, UNIVALI – SC

,

Comments are closed.