Mudança de comportamento e avanços da medicina contribuem para prolongar a V S

Medicamentos para a disfunção erétil e o aumento da expectativa de vida estão mudando a rotina dos casais com mais de 60 anos. Dispondo de recursos para viver mais e melhor, eles estão deixando de estabelecer uma idade para o fim das atividades sexuais. Recentemente, um estudo feito com 14 mil homens em sete países mostrou que 83% deles, na faixa etária entre 50 e 80 anos, levam uma vida sexual ativa. Outra pesquisa feita nos Estados Unidos com 4.264 homens e mulheres acima dos 50 anos, mostrou que a maioria dos casais felizes no casamento considera o sexo essencial.

[url=http://www.saudeplena.com.br/noticias/index_html?opcao=04-1107-amor3id]Fonte: Portal Uai Saúde Plena [/url]
Medicamentos para a disfunção erétil e o aumento da expectativa de vida estão mudando a rotina dos casais com mais de 60 anos. Dispondo de recursos para viver mais e melhor, eles estão deixando de estabelecer uma idade para o fim das atividades sexuais. Recentemente, um estudo feito com 14 mil homens em sete países mostrou que 83% deles, na faixa etária entre 50 e 80 anos, levam uma vida sexual ativa. Outra pesquisa feita nos Estados Unidos com 4.264 homens e mulheres acima dos 50 anos, mostrou que a maioria dos casais felizes no casamento considera o sexo essencial.

[url=http://www.saudeplena.com.br/noticias/index_html?opcao=04-1107-amor3id]Fonte: Portal Uai Saúde Plena [/url]

,

Comments are closed.