A campanha contra o PL deve continuar

As nossas manifestações no Dia Nacional de Luta contra o Projeto de Lei
do Ato Médico, no último dia 15 de setembro, mostraram a nossa força,
nossa cara e nossa capacidade de expressar, publicamente, que não
estamos dispostos a recuar frente a esse absurdo. Afinal, lutamos pela
construção da saúde multidisciplinar, coletiva e integral.

O nosso movimento tomou conta das principais cidades brasileiras:
milhares de pessoas foram às ruas contra a intenção autoritária de
médicos de se transformarem em donos de qualquer tipo de diagnóstico.

Os avanços preconizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), com sua
abordagem compreensiva do processo saúde-doença, delineando a saúde numa
perspectiva interacional, não serão destruídos por uma posição
minoritária dentro da medicina. São esses que fazem lobbies mesquinhos e
corporativos, de maneira sorrateira, ameaçando a prática democrática e
plural da construção de uma política de atenção integral, ampla e
multiprofissional à saúde, conquistada ao longo dos últimos anos.
Tomamos, sim, as ruas e as praças nesse fatídico 15 de setembro, mas
sabemos que nossa luta deve continuar!

As nossas manifestações no Dia Nacional de Luta contra o Projeto de Lei
do Ato Médico, no último dia 15 de setembro, mostraram a nossa força,
nossa cara e nossa capacidade de expressar, publicamente, que não
estamos dispostos a recuar frente a esse absurdo. Afinal, lutamos pela
construção da saúde multidisciplinar, coletiva e integral.

O nosso movimento tomou conta das principais cidades brasileiras:
milhares de pessoas foram às ruas contra a intenção autoritária de
médicos de se transformarem em donos de qualquer tipo de diagnóstico.

Os avanços preconizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), com sua
abordagem compreensiva do processo saúde-doença, delineando a saúde numa
perspectiva interacional, não serão destruídos por uma posição
minoritária dentro da medicina. São esses que fazem lobbies mesquinhos e
corporativos, de maneira sorrateira, ameaçando a prática democrática e
plural da construção de uma política de atenção integral, ampla e
multiprofissional à saúde, conquistada ao longo dos últimos anos.
Tomamos, sim, as ruas e as praças nesse fatídico 15 de setembro, mas
sabemos que nossa luta deve continuar!

Levamos nossas reivindicações ao Governo Federal e ao Congresso
Nacional, em nome de todas as categorias profissionais da saúde
preocupadas com o texto do PL sobre o Ato Médico, aprovado pela Comissão
de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal.
Nesse momento, acolhidas nossas propostas, vamos aguardar atentamente
os encaminhamentos, tanto do Governo quanto do Senado Federal.

Temos a clareza de que todos vocês – estudantes, profissionais da saúde,
professores e todos os apoiadores dessa causa – continuarão envolvidos,
passo a passo, com essa nossa caminhada, participando ativamente dos
nossos protestos, manifestações e ações necessárias para darmos um basta
a esse projeto. Sabemos que, caso seja aprovado, o PL 25/02 resultará
num alto custo para a população e a democracia brasileiras.

Em nome da Comissão Nacional contra o Projeto de Lei do Ato Médico
queremos nos congratular e parabenizar a todos e a todas pelo empenho,
garra e criatividade demonstradas nas manifestações realizadas em todo o
Brasil!

Sem dúvida, além do belo espetáculo de cidadania, estamos convictos de
que esse é um bom combate!!!

O importante agora é continuarmos juntos e mobilizados, demonstrando,
publicamente, nossa indignação e exigindo a rejeição desse famigerado
projeto de lei.

Faça sua parte! divulgue essa mensagem para seus contatos.

Fonte: www.naoaoatomedico.com.br

caso você não esteja visualizando esse e-mail corretamente, clique aqui.
;

caso não queira mais receber nossos boletins, clique aqui.
;

,

Comments are closed.