Cheiros podem ajudar a identificar Alzheimer, diz estudo

O cheiro de limão, menta e couro são três dos dez odores que podem ser utilizados como testes para identificar se uma pessoa tem propensão a desenvolver problemas como o mal de Alzheimer, de acordo com cientistas americanos. Pesquisadores da Universidade de Columbia testaram os odores em 150 pessoas com riscos de sofrer distúrbios nas chamadas funções cognitivas como observação, memória e atenção. As pessoas que começaram a desenvolver o mal de Alzheimer tiveram um desempenho fraco em identificar dez diferentes tipos de cheiros.

Fonte: [url=http://www1.folha.uol.com.br/folha/bbc/ult272u37908.shtml]Folha Online[/url]
O cheiro de limão, menta e couro são três dos dez odores que podem ser utilizados como testes para identificar se uma pessoa tem propensão a desenvolver problemas como o mal de Alzheimer, de acordo com cientistas americanos. Pesquisadores da Universidade de Columbia testaram os odores em 150 pessoas com riscos de sofrer distúrbios nas chamadas funções cognitivas como observação, memória e atenção. As pessoas que começaram a desenvolver o mal de Alzheimer tiveram um desempenho fraco em identificar dez diferentes tipos de cheiros.

Fonte: [url=http://www1.folha.uol.com.br/folha/bbc/ult272u37908.shtml]Folha Online[/url]

Comments are closed.