Batismo e morte infantil foram usados para legitimar poder político da Igreja e de médicos

Os diversos significados da morte infantil foram utilizados pelos médicos e pela Igreja Católica como argumentos para legitimar o poder político destes dois grupos durante o século XIX. A Igreja sustentou o seu discurso, sobretudo, em torno da necessidade do batismo. Já para os médicos, formados nas recém-criadas faculdades de medicina, o uso da “morte menina” esteve ligada às estratégias de profissionalização e de ingresso nas instâncias de poder político.

Fonte: [url=http://www.usp.br/agen/repgs/2005/pags/150.htm]Agência USP[/url]
Os diversos significados da morte infantil foram utilizados pelos médicos e pela Igreja Católica como argumentos para legitimar o poder político destes dois grupos durante o século XIX. A Igreja sustentou o seu discurso, sobretudo, em torno da necessidade do batismo. Já para os médicos, formados nas recém-criadas faculdades de medicina, o uso da “morte menina” esteve ligada às estratégias de profissionalização e de ingresso nas instâncias de poder político.

Fonte: [url=http://www.usp.br/agen/repgs/2005/pags/150.htm]Agência USP[/url]

Comments are closed.