Especial reúne estudos sobre a percepção

Especial reúne estudos sobre a percepção

Da psicologia à neurobiologia, edição temática da revista Viver Mente&Cérebro reúne artigos de especialistas sobre a relação entre percepção e consciência.

Como o cérebro humano organiza e traduz a realidade captada pelos sentidos? Qual a relação entre a percepção e a consciência? As investigações nesse sentido foram reunidas no volume especial “Percepção”, da revista Viver Mente&Cérebro, que chega neste mês às bancas. Reunindo artigos de pesquisadores estrangeiros de diversos campos do conhecimento – da psicologia à neurobiologia, da arte às neurociências cognitivas – a edição investiga o nexo entre dados sensoriais puros e a interpretação que o cérebro faz deles (veja a relação dos textos e autores do volume abaixo).

A edição procura demonstrar que aspectos neurofisiológicos e perceptivos se combinam na interpretação da realidade, em artigos que, por exemplo, descrevem como visão, olfato, audição, tato e paladar têm características comuns e podem se confundir, e também como a consciência distorce sensação da passagem do tempo cronológico. É a “recomposição de todo o mundo material no delimitado e estreito espaço de cada inteligência humana”, aponta o italiano Massimo Scaglione, autor do artigo introdutório da revista.

Multidisciplinar, o especial traz detalhes do funcionamento e organização do cérebro e descobertas recentes sobre sua função – o cerebelo, por exemplo, foi durante muito tempo visto apenas como coordenador dos movimentos corporais, porém hoje se sabe que participa de várias atividades cognitivas e perceptivas. A edição transita, ainda, por diversos outros campos: a aprendizagem, a centralidade da percepção visual, a importância do olfato na sobrevivência dos mamíferos, as chamadas “dores fantasmas” (freqüentemente sentidas em membros do corpo que foram mutilados), a percepção musical, a influência de anomalias visuais na produção das artes plásticas (como ocorreu com Monet, Degas e Pissarro), entre outros.

Artigos e autores

O cérebro dividido, por Michael Gazzaniga – diretor do Centro de Neurociência Cognitiva do Darthmouth College.

O cerebelo reconsiderado, por James M. Bower e Lowrence M. Parsons – professores do Centro de Pesquisas de Imagem do Centro de Ciência e Saúde da Universidade do Texas, em San Antonio.

O cérebro e a linguagem, por António Damásio e Hanna Damásio – professores de neurobiologia da Universidade de Iowa.

A fisiologia da percepção, Walter J. Freeman – professor de neurobiologia da Universidade de Califórnia em Berkeley

O cérebro que aprende, por Giovanni Mirabella – pesquisador da Universidade de Verona.

Janela da consciência, por Nikos K. Logothetis – diretor do departamento de fisiologia e processos cognitivos do Instituto Max-Planck de Biologia Cibernética, em Tübingen, na Alemanha.

Pintores e defeitos da visão, por Philippe Lanthony, oftalmologista do Laboratório da Visão das Cores do Centro Hospitalar Nacional de Quinze-Vingts, em Paris.

O tempo na psicologia, por Giovanni Bruno Vicário – titular da primeira cátedra de psicologia geral da Universidade de Pádua.

Bases da harmonia na música, por Andrea Frova – professor de física geral e de acústica musical da Universidade de La Spienza em Roma.

A lógica molecular do olfato, por Richard Axel – professor de bioquímica e biofísica molecular da Universidade Columbia e pesquisador no Instituto Médico Howard Hughes.

Ilusões do tato, por Edouard Gentaz e Yvette Hatwell – respectivamente, pesquisador do Laboratório de Cognição e Desenvolvimento da Universidade de Paris e professora emérita de psicologia e pesquisadora do Laboratório de Psicologia Experimental da Universidade Pierre Mendès-France, em Grenoble.

Dor fantasma, por Hartwig Hanser – doutor em bioquímica e editor de Gehirn&Geist.

Dando sentido ao paladar, por David V. Smith e Robert F. Margolskee – respectivamente, professor do Departamento de Anatomia e Neurobiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland e pesquisador associado do Instituto Médico Howard Hughes e professor de fisiologia e biofísica e de farmacologia da Faculdade de Medicina Monte Sinai.

Sobre a Viver Mente&Cérebro

Publicada desde 2004 pela Duetto Editorial, a Viver Mente&Cérebro, a única do gênero nas bancas brasileiras, mantém parceria com a revista alemã Gehirn&Geist. Todos os meses, os cerca de 38 mil exemplares vendidos (IVC) fornecem informação de qualidade nos artigos assinados por especialistas estrangeiros de psicologia, psiquiatria, psicanálise e neurociências – parte do conteúdo é produzido por pesquisadores brasileiros. O grupo Conhecimento da Duetto Editorial publica ainda as revistas Scientific American Brasil, História Viva e EntreLivros.

Para outras informações, entre em contato com André Larcher ou Clarice Sá, no telefone:
(11) 3082.5553

Especial reúne estudos sobre a percepção

Da psicologia à neurobiologia, edição temática da revista Viver Mente&Cérebro reúne artigos de especialistas sobre a relação entre percepção e consciência.

Como o cérebro humano organiza e traduz a realidade captada pelos sentidos? Qual a relação entre a percepção e a consciência? As investigações nesse sentido foram reunidas no volume especial “Percepção”, da revista Viver Mente&Cérebro, que chega neste mês às bancas. Reunindo artigos de pesquisadores estrangeiros de diversos campos do conhecimento – da psicologia à neurobiologia, da arte às neurociências cognitivas – a edição investiga o nexo entre dados sensoriais puros e a interpretação que o cérebro faz deles (veja a relação dos textos e autores do volume abaixo).

A edição procura demonstrar que aspectos neurofisiológicos e perceptivos se combinam na interpretação da realidade, em artigos que, por exemplo, descrevem como visão, olfato, audição, tato e paladar têm características comuns e podem se confundir, e também como a consciência distorce sensação da passagem do tempo cronológico. É a “recomposição de todo o mundo material no delimitado e estreito espaço de cada inteligência humana”, aponta o italiano Massimo Scaglione, autor do artigo introdutório da revista.

Multidisciplinar, o especial traz detalhes do funcionamento e organização do cérebro e descobertas recentes sobre sua função – o cerebelo, por exemplo, foi durante muito tempo visto apenas como coordenador dos movimentos corporais, porém hoje se sabe que participa de várias atividades cognitivas e perceptivas. A edição transita, ainda, por diversos outros campos: a aprendizagem, a centralidade da percepção visual, a importância do olfato na sobrevivência dos mamíferos, as chamadas “dores fantasmas” (freqüentemente sentidas em membros do corpo que foram mutilados), a percepção musical, a influência de anomalias visuais na produção das artes plásticas (como ocorreu com Monet, Degas e Pissarro), entre outros.

Artigos e autores

O cérebro dividido, por Michael Gazzaniga – diretor do Centro de Neurociência Cognitiva do Darthmouth College.

O cerebelo reconsiderado, por James M. Bower e Lowrence M. Parsons – professores do Centro de Pesquisas de Imagem do Centro de Ciência e Saúde da Universidade do Texas, em San Antonio.

O cérebro e a linguagem, por António Damásio e Hanna Damásio – professores de neurobiologia da Universidade de Iowa.

A fisiologia da percepção, Walter J. Freeman – professor de neurobiologia da Universidade de Califórnia em Berkeley

O cérebro que aprende, por Giovanni Mirabella – pesquisador da Universidade de Verona.

Janela da consciência, por Nikos K. Logothetis – diretor do departamento de fisiologia e processos cognitivos do Instituto Max-Planck de Biologia Cibernética, em Tübingen, na Alemanha.

Pintores e defeitos da visão, por Philippe Lanthony, oftalmologista do Laboratório da Visão das Cores do Centro Hospitalar Nacional de Quinze-Vingts, em Paris.

O tempo na psicologia, por Giovanni Bruno Vicário – titular da primeira cátedra de psicologia geral da Universidade de Pádua.

Bases da harmonia na música, por Andrea Frova – professor de física geral e de acústica musical da Universidade de La Spienza em Roma.

A lógica molecular do olfato, por Richard Axel – professor de bioquímica e biofísica molecular da Universidade Columbia e pesquisador no Instituto Médico Howard Hughes.

Ilusões do tato, por Edouard Gentaz e Yvette Hatwell – respectivamente, pesquisador do Laboratório de Cognição e Desenvolvimento da Universidade de Paris e professora emérita de psicologia e pesquisadora do Laboratório de Psicologia Experimental da Universidade Pierre Mendès-France, em Grenoble.

Dor fantasma, por Hartwig Hanser – doutor em bioquímica e editor de Gehirn&Geist.

Dando sentido ao paladar, por David V. Smith e Robert F. Margolskee – respectivamente, professor do Departamento de Anatomia e Neurobiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland e pesquisador associado do Instituto Médico Howard Hughes e professor de fisiologia e biofísica e de farmacologia da Faculdade de Medicina Monte Sinai.

Sobre a Viver Mente&Cérebro

Publicada desde 2004 pela Duetto Editorial, a Viver Mente&Cérebro, a única do gênero nas bancas brasileiras, mantém parceria com a revista alemã Gehirn&Geist. Todos os meses, os cerca de 38 mil exemplares vendidos (IVC) fornecem informação de qualidade nos artigos assinados por especialistas estrangeiros de psicologia, psiquiatria, psicanálise e neurociências – parte do conteúdo é produzido por pesquisadores brasileiros. O grupo Conhecimento da Duetto Editorial publica ainda as revistas Scientific American Brasil, História Viva e EntreLivros.

Para outras informações, entre em contato com André Larcher ou Clarice Sá, no telefone:
(11) 3082.5553

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.

,

Comments are closed.