Com ciúme do irmãozinho

Nem sempre a chegada do segundo filho é encarada com a devida alegria e receptividade por todos os membros da família. O problema acontece quando o até então filho único percebe que o universo que girava exclusivamente ao seu redor terá de ser partilhado com um “estranho”. Como os preparativos que antecedem a chegada do bebê duram alguns meses, neste período a criança já pode começar a demonstrar ciúme de formas variadas. Mas não há, segundo especialistas, motivos para alarde. Um irmão é alguém com quem a criança terá que disputar a atenção dos pais, dos parentes, brinquedos e até seu espaço físico no lar. O ciúme é uma reação emocional normal da criança, e cabe aos pais contorná-la com muito diálogo, paciência e compreensão.
Nem sempre a chegada do segundo filho é encarada com a devida alegria e receptividade por todos os membros da família. O problema acontece quando o até então filho único percebe que o universo que girava exclusivamente ao seu redor terá de ser partilhado com um “estranho”. Como os preparativos que antecedem a chegada do bebê duram alguns meses, neste período a criança já pode começar a demonstrar ciúme de formas variadas. Mas não há, segundo especialistas, motivos para alarde. Um irmão é alguém com quem a criança terá que disputar a atenção dos pais, dos parentes, brinquedos e até seu espaço físico no lar. O ciúme é uma reação emocional normal da criança, e cabe aos pais contorná-la com muito diálogo, paciência e compreensão.
Logo que a segunda gravidez foi confirmada, Idalína Cláudia Marciano Silva, 34 anos, tratou de preparar o caminho antes de contar a novidade a Fauzer, de 3 anos. “Ele é uma criança agitada, fiquei com medo de sua reação”, conta. Mas, para sua surpresa, o menino não teve a reação que ela imaginava. “Tive o cuidado de prepará-lo antes, dizendo que ele sempre seria o bebê da casa e que não perderia o amor nem do papai muito menos da mamãe”, explica Idalina.

Ela revela que apesar de o filho ter recebido bem a notícia, em alguns momentos ainda faz pirraça e grita dizendo que ninguém mais gosta dele e que tudo é comprado para o irmãozinho. “É claro que procuro explicar que todos continuam gostando dele”, diz a futura mamãe, que atualmente está no quarto mês de gestação.

fonte:[url=http://www.atribunamt.com.br/?f=ver_noticia&id=23523]www.atribunamt.com.br[/url]

About Projeto Tear

O Espaço Tear recebe portadores de transtornos mentais encaminhados pelo serviço de saúde pública de Guarulhos. Lá, eles aprendem a trabalhar e podem produzir nas oficinas de reciclagem de papel, velas artesanais, marcenaria, vitral, mosaico e gráfica

,

Comments are closed.