Anorexia – doença psiquiátrica com mais vítimas fatais

Preocupação em excesso com a estética pode levar a transtornos alimentares como anorexia nervosa. As dietas vão ficando cada vez mais rígidas, o emagrecimento acentuado, mas a vontade de perder peso e o medo de engordar continuam aprisionando suas mentes. “Anorexia é a doença psiquiátrica que mais mata”, afirma Cristiano Nabuco de Abreu, coordenador da equipe de psicologia do Ambulim (Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da USP). “Anorexia pode provocar diminuição da massa encefálica (cérebro), osteoporose, problemas cardíacos e muitos outros, até a morte”, afirma o especialista.
Preocupação em excesso com a estética pode levar a transtornos alimentares como anorexia nervosa. As dietas vão ficando cada vez mais rígidas, o emagrecimento acentuado, mas a vontade de perder peso e o medo de engordar continuam aprisionando suas mentes. “Anorexia é a doença psiquiátrica que mais mata”, afirma Cristiano Nabuco de Abreu, coordenador da equipe de psicologia do Ambulim (Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da USP). “Anorexia pode provocar diminuição da massa encefálica (cérebro), osteoporose, problemas cardíacos e muitos outros, até a morte”, afirma o especialista.
Existem dois tipos de anorexia: a restritiva, na qual a pessoa não come ou evita comer, e a purgativa, considerada mais grave, cujas vítimas provocam vômito para eliminar o pouco que comem, fazem exercício em excesso para queimar calorias, usam laxantes e diuréticos. “Só faço uma refeição por dia que contém, no máximo, 200 calorias. Depois vomito. Prefiro morrer magra a viver gorda”, afirma S.M.N.T., 16 anos, da cidade paulista Cruzeiro, que tem anorexia há quatro anos. Só para se ter uma idéia, 200 calorias equivalem a uma maçã e um copo de leite. Mesmo com a restrição alimentar, S.M.N.T. não acredita estar de acordo com os padrões de beleza. “Sinto-me extremamente gorda. Tenho muita depressão, crises de choro por vontade de comer”, afirma).

No livro A Ditadura da Beleza e a Revolução das Mulheres, o psiquiatra Augusto Cury explica: “O transtorno da auto-imagem gerado pela síndrome de PIB (Padrão Inatingível de Beleza), somado a alterações metabólicas nas sinapses nervosas, faz com que certas pessoas vivenciem um estado de angústia tão grande que bloqueia a racionalidade e o instinto da fome, produzindo a anorexia nervosa”. Segundo Cury, 90% dos casos de anorexia afetam mulheres.

A futura estudante de nutrição Nati, 20 anos, de São Paulo, já passou uma semana inteira em jejum. O único item que se permitia ingerir era refrigerante light. Com 1,53 m de altura e 36 kg, Nati afirma: “Estou horrível de gorda. Com 40 kg, ou mais, fico deprimida”, afirma. [url=http://diaadia.dgabc.com.br/materia.asp?materia=510425]www.diaadia.dgabc.com.br[/url]

,

Comments are closed.