Intervenção psicológica comportamental em um caso de atendimento na àrea da saúde: Maternidade

O objetivo deste trabalho é relatar o atendimento psicológico na área da
saúde realizado em um hospital municipal, a uma puérpera, cuja queixa estava
relacionada à conduta médica e ao prognóstico do recém-nascido. A paciente
apresentou uma gestação de alto-risco em função do descolamento de placenta e
sangramento vaginal. Com sete meses de gestação a paciente foi hospitalizada com
a decisão médica de realizar o parto normal, conduta que contrariou a paciente
em função de apresentar dores fortes. Em decorrência da demora do nascimento por
causa do tamanho e peso da criança, acima do esperado, 4,5Kg, a paciente relatou
que houve falta de oxigenação no cérebro da criança e foi necessário deslocar o
braço para que o parto pudesse ser concluído. Consequentemente, o nenê poderá
apresentar seqüelas físicas/cognitivas no decorrer de seu desenvolvimento,
segundo informações fornecidas pelo pediatra que avaliou a criança. A mãe
associou a história de seu filho a uma reportagem q!
ue assistira na televisão sobre um caso de retardo mental relatando não querer
um filho com problemas mentais dizendo que não gostaria dele. A intervenção
psicológica foi realizada objetivando criar condições (repertório
comportamental) de enfrentamento à mãe quanto as prováveis conseqüências que o
bebê poderia ou não apresentar; verificar as crenças existentes e fornecer
informações quanto à construção de vínculo mãe-filho. Através das técnicas de
instrução e orientação buscou-se discriminar junto a mãe que o prognóstico se
daria em função do respaldo e orientação que ela devia cumprir ao consultar um
médico especializado e da própria estimulação que esta daria à criança, uma vez
que era prematuro dizer quais seriam os comportamentos que a criança iria
desenvolver ou não. Isso fez com que seu repertório aumentasse em relação a
estas informações, eliminando as crenças irracionais presentes em função da
generalização que havia feito e ao medo da não vinculação. A estagiária de !
psicologia também realizou relaxamento em função da grande ansiedade que a
paciente apresentava no momento. Neste tipo de serviço de saúde, a intervenção
psicológica é focal e imediata, portanto o profissional precisa ter repertório
para lidar com queixas que aparecem de forma imediata. Desta maneira concluiu-se
que a intervenção psicológica foi eficaz por conseguir modificar o repertório da
mãe sobre informações e suas condições de enfrentamento em relação ao seu bebê,
e também por ter conseguido diminuir sua ansiedade no momento aversivo.

Autores: *Paula Contreras Tito; **Mônica Ferreira da Silva; *** Adriana Said
Daher Baptista (O)

Instituição: *Centro Universitário Hermínio Ometto **Psicóloga Clínica ***Centro
Universitário Hermínio Ometto e Doutoranda pela Unifesp.

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.

Comments are closed.