Mesa redonda 2: controle aversivo e aprendizagem 1 – o conceito de comportamento operante e a polêmica envolvida no controle aversivo

Com a elaboração do conceito de comportamento operante, é possível recorrer a uma nova unidade de análise para o estudo do comportamento. Tal unidade de análise tem sido chamada de tríplice contingência e se caracteriza por decompor episódios comportamentais em relações; as relações que compõem uma tríplice contingência por sua vez envolvem relações respondentes e relações operantes; temos assim uma unidade de análise que pode sofrer ela mesmo posterior decomposição. Além disso, a descrição completa de uma tríplice contingência parece exigir a consideração de elementos que, estando além dela, fornecem parâmetros que a delimitam: as situações de estímulo chamadas de estímulos condicionais ou contextuais e as situações de estímulo chamadas de operações estabelecedoras. É a partir de tal compreensão de uma tríplice contingência que se busca discutir a polêmica presente na análise do comportamento sobre o controle aversivo.

Considerando, em princípio, controle aversivo como o recurso ao reforçamento negativo e à punição, dois aspectos são centrais na referida polêmica: a) a necessidade da distinção entre reforçamento positivo e negativo e b) a questão de se a punição pode e deve ser vista como o processo inversamente simétrico ao de reforçamento. A discussão desses dois aspectos traz implicações para a própria definição de reforçamento e de punição. Entende-se, aqui, reforçamento como um processo que envolve uma operação (alterações ambientais seguindo determinadas respostas) e um de seus efeitos (a classe de respostas da qual fazem parte as respostas que foram seguidas pelas mudanças ambientais se fortalece). Assim, o fortalecimento da classe de respostas é apenas o efeito distintivo do processo de reforçamento e, como tal, algo que pode ser incluído como parte de sua definição.

Podem, entretanto, ser identificados outros efeitos a depender da alteração ambiental que seguiu determinadas respostas (no caso que interessa aqui, a produção de aspectos do ambiente ou a remoção de aspectos do ambiente) e são esses outros efeitos que são destacados quando se distingue reforçamento positivo de reforçamento negativo. Punição é entendida, aqui, simplesmente como o conjunto de operações inversas às que caracterizam as operações envolvidas no processo de reforçamento, os efeitos dessas operações são tão amplos, variados e variáveis que não podem ser incluídos como parte da definição. Não se considera, portanto, punição como processo simétrico ao de reforçamento e, mais do que isso, coloca-se todo o peso da investigação na identificação e descrição dos possíveis efeitos da punição. Em qualquer dos casos, falar em efeitos significa falar em alterações em qualquer dos três termos que compõem um tríplice contingência. A polêmica sobre controle aversivo conduz à questão: o que é mesmo que está sendo aprendido com tal tipo de controle?

autor: Tereza Maria de Azevedo Pires Sério PUC-SP

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.
Comments are closed.