Stress da Vida – Parar e pensar o que você anda fazendo com sua vida é o primeiro passo para lidar bem com o stress.



Stress da Vida

Stress
da Vida

por
Mário L. Quilici

Nesse
artigo resolvemosfalar do Stress. Entretanto, sentimo-nos mais estimulados
a falar do assunto desde que recebemos inúmeros e-mails solicitando
informações e orientações sobre stress. Não é nossa intenção esgotar
o assunto nesse número já que é um campo vasto e que merece ser visto
com muito cuidado.

Não
poderíamos iniciar a assunto de stress sem antes conhecermos um pouco
do homem que considero o pai do conceito de stress e que deu os primeiros
passos em direção às importantes descobertas que hoje podem ajudar-nos
à melhorar nossa qualidade de vida. Seu nome é Hans Selye e ele é, sem
dúvida, um grande pioneiro da medicina. Seu famoso e revolucionário
conceito de Stress abriu grandes possibilidades de compreensão e tratamento
para muitas enfermidades na medida em que descobre e descreve hormônios
que participam do desenvolvimento de muitas doenças degenerativas como
por exemplo: Trombose coronária, AVC, pressão alta, câncer etc.

Dr.
Hans Selye nasceu em Viena em 1907, estudou em Praga, Paris e Roma.
Recebeu seu PhD na Germany University em Praga . Em 1945 vai para a
Universidade de Montreal onde tornou-se professor e diretor do Instituto
de Medicina Experimental e de Cirurgia. Escreveu 32 livros e mais de
1500 artigos técnicos, a grande maioria ligada à Síndrome Geral de Adaptação,
cujo nome popular é Stress. Durante sua evolução acadêmica, obteve títulos
de doutorado em filosofia, medicina e ciências, bem como 19 títulos
honorários em universidades de diversos pontos do planeta.

Não
vamos tratar de seguir os passos de pesquisa do Dr. Hans Selye, porque
haveríamos de gastar muitas horas escrevendo. Vamos então descrever
de forma simples suas descobertas sobre o stress. Como surge, que males
pode nos causar e algumas idéias de como podemos nos livrar dele.

Vamos
começar por imaginar que você viva na idade da pedra. Está sentado de
forma confortável na frente da sua caverna diante de uma fogueira apreciando
o fogo. Inesperadamente surge das sombras uma fera. Em poucos segundos
sua respiração acelera, seu coração dispara e sua pressão sangüínea
eleva-se.O sangue é drenado rapidamente de suas mãos e pés, para seu
fêmur (coxa) e músculos dos ombros. Borboletas parecem estar invadindo
seu estômago, a transpiração inunda sua pele e seus músculos estão tensos
para fugir ou atacar. Essa reação é chamada de resposta de stress, ou
Síndrome Geral de Adaptação.

Esta
resposta leva oxigênio e nutrientes para os grandes músculos e para
o cérebro a fim de aumentar a energia e a vigilância. A digestão torna-se
lenta. A transpiração refresca seu corpo superaquecido. Quando o sangue
deixa suas mãos, ele torna-se frio e mais viscoso. Os músculos tensos
preparam você para uma ação rápida. Você então avalia e decide se pode
lutar contra a fera ou deseja fugir dela. Seu organismo está devidamente
preparado para qualquer uma das duas situações.

Veja
que, tão logo percebe a situação de perigo (real ou irreal) o eixo hipotálamo-hipofisário
estimula o organismo à produzir um grande número de hormônios que vão
preparar o organismo para a reação de luta ou fuga. Dentre esses hormônios
temos a adrenalina que, uma vez jogada na corrente sangüínea, vai estimular
a glândula supra renal a produzir um antinflamatório e este por assim
dizer, interfere com as atividades do sistema imunológico, diminuindo
sua capacidade de atuação. A ação constritora da adrenalina sobre os
vasos sangüíneos é bem conhecida daqueles médicos que tratam de enfartes,
acidentes vasculares cerebrais e disfunções sexuais.

Essa
resposta orgânica à situações perigosas ou ameaçadoras, foi muito útil
para os homens das cavernas e outros povos que vieram depois deles.
Entretanto hoje mantemos a mesma resposta mas temos muito poucas batalhas
físicas para lutar e quase nenhum lugar ou razão para fugir. Em vez
disso, temos chefes zangados, clientes exigentes, fornecedores irresponsáveis,
prazos e metas impraticáveis, exames finais, trafico difícil, inúmeras
contas para pagar, moeda instável, governos mal dirigidos, corrupção,
crianças barulhentas, trânsito caótico, impossibilidade de prever e
planejar o futuro, violência urbana, solidão etc.

O
que dispara uma resposta de stress? A resposta é: qualquer coisa que
você sinta como ameaçadora ou perigosa, seja ela real ou irreal. As
fontes de stress podem ser divididas em três categorias básicas:- stress
situacional, stress físico e stress mental.

O
stress situacional inclui todas as demandas de pessoas ou coisas em
volta de você. O ambiente que você vive, o ar que respira, os sons que
ouve e as pessoas com quem convive e conhece podem disparar uma resposta
de stress.

O
que nós fazemos por nosso corpo determinará o que nosso corpo fará por
nós e também como ele responderá à outras fontes de stress. Dormir pouco,
comer em horários irregulares, trabalhar sem descanso por muito tempo,
beber muito café, tomar refrigerantes, fumar, são meios de desencadear
respostas de stress físico.

Por
fim, no que diz respeito ao stress mental, podemos dizer que o que nós
pensamos e a maneira como o fazemos pode disparar uma resposta de stress.
Se nós nos apressamos em tirar conclusões sobre fatos, tomamos as coisas
que nos acontecem como se fossem pessoais, e vemos tudo como sendo muito
perigoso, podemos estar disparando com freqüência as respostas de stress.

Como
fazer para lidar com esse problema chamado stress que pode causar dores
de cabeça, pressão alta, insônia, problemas digestivos, problemas de
pele e muitas outras desordens? A primeira delas é parar e pensar para
ver o que é que você anda fazendo com sua vida. Veja o quanto está trabalhando
e o quanto está descansando. Será que tem tirado o tempo necessário
para distrair-se dos problemas diários? Veja se está se alimentando
de forma saudável e dentro de horários corretos. Veja a qualidade do
que está comendo. Qualidade de vida é um anti stress muito poderoso.

Uma
outra possibilidade é o uso de técnicas de relaxamento e respiração.
Sob stress, muitas pessoas tendem a respirar a partir do meio do peito
um tanto rápido e superficialmente. A experiência sugere que isso indica
problemas de pressão arterial. Algumas técnicas de relaxamento são excelentes
para ajudar à lidar com o stress. Um profissional experiente e bem orientado
nessas técnicas pode ajudar as pessoas à diminuírem efetivamente os
efeitos maléficos do stress e melhorar a qualidade de vida. Há pequenos
exercícios de respiração e relaxamento que podem ser aplicados em qualquer
lugar e que demandam uma quantidade muito pequena de tempo sendo bastante
efetivos para controle do stress.

Como
dissemos acima, o que você dá à sua vida é o que você vai receber dela.
Nem mais nem menos. É necessário que façamos uma avaliação e verifiquemos
se a relação custo beneficio entre nossas atividades e ganhos, nos dá
condições de obter prazer da vida. Conhecer um pouco mais à respeito
de si mesmo pode ajudar à aumentar o nível de tolerância para consigo
mesmo e os demais. Aprender à colocar-se no lugar do outro é uma grande
receita para diminuir a raiva e a mágoa. Ficar triste e chorar em determinados
momentos é um atributo da natureza humana e não deve ser evitado. Competir
somente quando houver absoluta necessidade e os riscos forem bem calculados.
Na maior parte das vezes as pessoas competem sem saberem exatamente
por que o fazem. Isso é perda de tempo e de energia e além do mais,
não leva à lugar nenhum. Observe se você não está vitimado pelos pensamentos
ansiosos
, muito característicos do stress (número anterior da revista,
seção – Psicologia da vida cotidiana).

Faça
planos a longo prazo. Talvez uma viagem de férias com amigos ou familiares
seja proveitosa para quebrar o circulo vicioso do stress. Leia um livro.
Desenvolva uma atividade manual como marcenaria, pintura, desenho, colagem
etc. Uma vez ou outra um passeio a um lugar novo. Um jantar romântico
à luz de velas. Reencontrar velhos amigos, ir ao cinema, ao teatro ou
simplesmente passear na praia num fim de tarde, isso tudo pode ajudar
muito. Aprender à não pensar em nada é um grande passo para evitar o
stress. Afinal, Stress é antes de tudo o resultado do que pensamos e
de como encaramos a vida.

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.

Comments are closed.