Terapia Comportamental com um paciente com diagnóstico de transtorno obsessivo compulsivo

resumo: Esta apresentação visa o relato de atendimento psicológico a um cliente
(R) de 26 anos com diagnóstico clínico esclarecido de Transtorno Obsessivo
Compulsivo (TOC) desde seus 18 anos. R está com tratamento psiquiátrico
medicamentoso numa Universidade, juntamente com atendimento psicológico numa
clínica-escola de psicologia. O tempo ocupado pelos pensamentos obsessivos é
constante, havendo um período curto de obsessões em média de 1 hora/dia
consecutiva sem sintomas. R relata que o pensamento obsessivo o perturba, mas
ainda é controlável, porém não há resistência aos rituais por haver aumento de
ansiedade se as compulsões forem interrompidas. A compulsão depende de seu
estado de humor, por exemplo, se ele não estiver nervoso, consegue lavar as mãos
de maneira considerada normal, caso contrário, demora aproximadamente 20
minutos, o comportamento compulsivo tem que ser executado até o fim e somente
com dificuldade consegue retardar as compulsões. R. costuma sentir culpa !
pelo resultado de acontecimentos que são independentes de seu controle como,
quebra objetos de casa. Caso algum evento considerado por ele como aversivo
aconteça (por exemplo, pensa que a água vai espirrar nele mesmo passando longe
da torneira), é desencadeado comportamentos de irritabilidade, como choro e
grito durante um longo tempo (aproximadamente 4 horas). As compulsões
apresentadas pelo cliente têm utilizado imagens mentais de pessoas ao seu lado
para ajudá-lo a se concentrar numa atividade. Foi estabelecido com R. uma
hierarquia de comportamentos obsessivos e compulsivos discriminando o mais
manifestado e também aplicado à escala de sintomas obsessivos e compulsivos de
Yale-Brow, com o objetivo de ajudá-lo a confrontar situações evitadas, e
solicitar um Acompanhante Terapêutico (AT) para acompanhamentos em atividades
específicas. As técnicas utilizadas nesse atendimento foram os métodos operantes
baseados na teoria de Aprendizagem Social para Treino de Habilidades Socia!
is/assertividade, ensaios comportamentais, envolvendo modelação, técnica de
exposição à situações ansiógenas (imaginação ou ao vivo), prevenção de resposta,
supressão de pensamentos (utilizando pensamentos e imagens alternativas para
suprir obsessões perturbadoras) e testes comportamentais (avaliando relatos do
cliente tais como: pensamentos e sensações de mal estar, ansiedade e os impulsos
de neutralizar). Pode-se concluir que com a intervenção psicológica e
acompanhamento terapêutico, o cliente demonstrou adesão ao tratamento dando
continuidade nas tarefas realizadas com o AT , criou estratégias para aumentar
auto-estima (caminhar para emagrecer; hábitos de higiene para arrumar namorada),
resistência à obsessão de contaminação (preocupação excessiva com animais e com
sujeira) e controle no impulso de comprar.

Palavras-chaves: transtorno obsessivo compulsivo; terapia Comportamental.

autores: *Elaine ** Adriana Said Daher Baptista
*Aluna da Graduação do Curso de Psicologia do Centro Universitário Hermínio
Ometto.
** Docente e Supervisora do Curso de Psicologia do Centro Universitário Hermínio
Ometto e Doutoranda pela Unifesp.

instituicao: UNIARARAS

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.

Comments are closed.