Internet fortalece relações sociais, diz pesquisa

Uma pesquisa do instituto Pew Internet, com sede nos Estados Unidos, mostrou que a rede de computadores tem desempenhado um importante papel nas decisões tomadas por 60 milhões de americanos.

Seja para pedir conselhos em relação à carreira, procurar informações e ajuda sobre doenças, ou até para comprar uma casa, 45% dos americanos recorrem à internet, afirma o estudo.
Uma pesquisa do instituto Pew Internet, com sede nos Estados Unidos, mostrou que a rede de computadores tem desempenhado um importante papel nas decisões tomadas por 60 milhões de americanos.

Seja para pedir conselhos em relação à carreira, procurar informações e ajuda sobre doenças, ou até para comprar uma casa, 45% dos americanos recorrem à internet, afirma o estudo.
O objetivo do estudo era descobrir se a rede e a troca de e-mails fortaleciam relações sociais e a resposta parece ser positiva, especialmente em tempos de crise, quando as pessoas precisam mobilizar suas redes sociais.

No passado, havia dúvidas se a internet faria com que as pessoas se relacionassem menos, mas o relatório, chamado A Força das Ligações na Internet, concluiu que os e-mails suplementam, e não substituem as comunicações por outras vias.

Nova comunidade

“O quanto maior, mais distante e mais diversa a rede de uma pessoa, mais importante é o e-mail”, afirma Jeffrey Boase, um dos autores do relatório.

“Você não pode telefonar pessoalmente ou visitar todos os seus amigos com frequência, mas você pode inclui-los regularmente em seus e-mails. A conclusão é de que isso é muito importante”, diz ele.

O velho clichê de que em horas de crise é possível descobrir quem são seus verdadeiros amigos parece ser tão verdadeiro na internet como fora dela.

“Quando você precisa de ajuda nos dias de hoje, não é preciso convocar a cavalaria, o que você precisa é de uma grande lista de amigos”, disse John Horrigan, diretor associado de pesquisas do Projeto Pew Internet.

Segundo o sociólogo Barry Wellman, co-autor do estudo, a internet está criando um novo fenômeno social, que ele chama de ascensão da rede individualista, em que os usuários da tecnologia moderna estão menos ligados a grupos locais e são, cada vez mais, parte de redes geográficas espalhadas.

fonte:[url=http://noticias.uol.com.br/bbc/2006/01/26/ult2363u5634.jhtm]www.noticias.uol.com.br[/url]

,

Comments are closed.