Carta Aberta Do Conselho Departamental Da Faculdade De Psicologia

Em reunião ordinária nesta data, o Conselho Departamental da Faculdade de Psicologia analisou os últimos acontecimentos que afetaram a PUCSP e deliberou manifestar, por meio desta carta aberta, sua posição.

Em reunião ordinária nesta data, o Conselho Departamental da Faculdade de Psicologia analisou os últimos acontecimentos que afetaram a PUCSP e deliberou manifestar, por meio desta carta aberta, sua posição.

1) Em primeiro lugar, ratificando posições publicadas anteriormente em documentos dos professores da Faculdade de Psicologia, o C.D. coloca-se contrário às demissões realizadas pela Fundação São Paulo, as quais desrespeitam as instâncias de decisão da universidade.

No caso da Faculdade de Psicologia, tais demissões atingiram professores que vêm se dedicando à universidade por um longo período de tempo e que têm reconhecida competência e importância na formação e pesquisa em Psicologia. São também professores que tinham destinadas a eles inúmeras atividades da faculdade para o ano de 2006, o que acarreta, de imediato, prejuízos para o desenvolvimento do projeto pedagógico do curso, bem como dificuldades nas relações com outras instituições, vinculadas a estágios para nossos alunos. Além disso, ficam prejudicadas atividades da Clínica Psicológica.

É necessário também dizer que incluímos nesses prejuízos o desfalque que sofreram os Programas de Estudos Pós-graduados em Psicologia Experimental: Análise do Comportamento, e Educação: Psicologia da Educação, com a demissão de um de seus professores, responsável por uma disciplina e 15 orientandos de mestrado e doutorado.

O reconhecimento da gravidade das perdas que tem a Faculdade com a demissão desses professores pode ser percebido não apenas pelas inúmeras manifestações de nossos professores, alunos e ex-alunos, mas também pelas manifestações de solidariedade e repúdio a tais medidas que recebemos de diferentes personalidades acadêmicas e diversas entidades, tais como ANPEPP, Sociedade Brasileira de Psicologia, Conselho Federal de Psicologia, Conselho Regional de Psicologia de São Paulo, CAPES, Departamento de Psicologia Experimental da USP, Direção do Instituto de Psicologia da USP, Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Psicologia Experimental da Universidade Federal do Pará, Sedes Sapientiae e Associação Brasileira de Ensino de Psicologia.

A Faculdade de Psicologia não aceitou tais demissões em função do que representam: desrespeito à autonomia da universidade, desrespeito a uma história de dedicação dos professores demitidos à universidade e desrespeito à comunidade da psicologia que preza sua história de construção coletiva. Por meio de suas Chefias e Direção, a Faculdade entrou com recursos contra todas as demissões, mas esse processo, ainda pouco explicado, resultou na manutenção de cinco demissões que têm esse grave significado.

Em função de tais fatos, ainda esperamos que os responsáveis pelas demissões atentem para tais prejuízos e revertam a decisão tomada.

2) Em segundo lugar, pelos motivos já expostos, o C.D. da Faculdade de Psicologia manifesta seu apoio à decisão do CONSUN de não acatar as demissões, determinando sua revogação, bem como à decisão do CEPE de não substituir os professores demitidos pela Fundação São Paulo, em função da decisão do CONSUN. Nesse sentido, o C.D. deliberou manter, por ora, as turmas e atividades desses professores sem substituição, enquanto aguarda outras orientações dos órgãos superiores da universidade. Deliberou também que os alunos envolvidos nessas turmas e atividades serão acompanhados pela Coordenação de Curso a fim de que sejam esclarecidos e informados de toda a situação.

3) Por fim, o C.D. da Faculdade de Psicologia expressa sua preocupação com o momento vivido pela PUCSP, entendendo que graves questões estão em curso e, se não forem devidamente cuidadas por todos, órgãos colegiados, Reitoria, entidades representativas e o conjunto de professores, alunos e funcionários, poderemos por a perder conquistas históricas que marcam o diferencial de nossa universidade: estrutura de participação democrática e excelência acadêmica, traduzida na valorização da pesquisa, qualidade na formação e compromisso com a extensão e a prestação de serviços.

Em nome de nossos mais caros princípios e, principalmente, em nome da convivência democrática pautada pela defesa do projeto de universidade da PUCSP, o C.D. da Faculdade de Psicologia coloca-se a postos para seguir debatendo e colaborando para a superação da crise que vivemos.

Conselho Departamental da Faculdade de Psicologia

Fonte : [url=rfarah@uol.com.br]Rosa Farah[/url]

,

Comments are closed.