Soníferos provocam reações estranhas em pacientes nos Estados Unidos.

O comportamento anormal por parte de insones que consomem soníferos, coisas como comer desenfreadamente e fazer sexo durante o sono, está provocando questionamentos sobre a segurança de medicamentos como o Ambien, do laboratório Sanofi-Aventis.
O comportamento anormal por parte de insones que consomem soníferos, coisas como comer desenfreadamente e fazer sexo durante o sono, está provocando questionamentos sobre a segurança de medicamentos como o Ambien, do laboratório Sanofi-Aventis.
Pesquisadores de Minnesota estão estudando casos nos quais os consumidores de Ambien levantam no meio da noite, assaltam a geladeira e no dia seguinte não se lembram de nada. Os dados devem ser publicados em breve.

Esses efeitos adversos dos soníferos são conhecidos há anos, mas a incidência está crescendo devido a uma explosão do consumo, segundo especialistas.
Cerca de 30 milhões de americanos consomem soníferos, segundo a Academia Americana de Medicina do Sono. Algumas estatísticas apontam um crescimento de 50% desde o começo da década.

Entre os efeitos adversos mais graves estão a amnésia de curto prazo e acidentes com pacientes que, após uma noite de sono sob medicamentos, dirigem de forma desatenta. “Este comportamento incomum à noite é relativamente raro e bizarro” disse Donna Arand, Presidente da Associação Americana da Insônia”. A sonolência diurna, aquela sensação de estar drogado que as pessoas podem ter, éprovavelmente o mais preocupante, por causa dos acidentes que podem ocorrer“ destacou.

O Ambien lidera o mercado de soníferos nos Estados Unidos, que movimenta cerca de US$ 2 bilhões. O aumento no consumo se deve em parte à publicidade, mas também porque muitos pacientes podem estar usando os medicamentos por períodos mais longos que o recomendado, segundo especialistas.

A entidade de direitos do consumidor Public Citizen alertou que o Ambien só deveria ser usado de forma limitada, por causa da amnésia temporária que induz, segundo o Farmacêutico Larry Sasich.

“O sistema de relatos da Administração de Alimentos e Drogas é voluntário e esporádico, razão pela qual não sabemos quão grande o problema é e não temos forma de avaliar com precisão a prevalência” disse Sasich, Consultor da Public Citizen.

A Sanofi-Aventis disse que o sonambulismo é um efeito colateral raro, que consta no rótulo do Ambien, e que todos os casos são relatados às autoridades. Ainda assim, não há estatísticas sobre a prevalência do problema.

Ken Sassower, Neurologista do Hospital Geral de Massachusetts, em Boston, disse que um colega que tomou soníferos não se lembrava na manhã seguinte de ter dado orientação a residentes. “A questão da memória pode ser um efeito colateral não freqüente, mas quando acontece pode ser bastante significativo, e certamente precisa ser examinado de forma mais rigorosa” afirmou.

Os médicos aconselham não retirar o medicamento abruptamente, pois isso pode provocar síndrome de abstinência. “O risco sempre esteve aí, estamos vendo-o mais agora porque mais gente está usando as drogas” disse Merrill Mitler, Diretor da unidade de Distúrbios do Sono do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos.

Fonte: [url=http://www.antidrogas.com.br/mostranoticia.php?c=3180&msg=Son%EDferos]www.antidrogas.com.br[/url]

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.

Comments are closed.