Apresentação da coluna

Olá, caro internauta! A presente coluna tem como objetivo discutir questões sobre a psicologia do esporte no Brasil. A partir do percurso que tenho trilhado nesta área pretendo polemizar alguns pontos que tem sido alvo de calorosas e duradouras disputas: qual a formação necessária para que alguém possa dizer-se um psicólogo do esporte? Qual o seu papel junto à praticantes de atividade física? É diferente do trabalho com atletas? Por falar nesta área específica, a do esporte de alto rendimento, é possível conciliar o compromisso ético do psicólogo (a saúde acima de tudo) com os objetivos de melhora constante de rendimento?
Para ilustrar um pouco acerca destes pontos é necessário trazer a público, ou pelo menos relembrar, alguns fatos. Tem sido bastante comum que profissionais de educação física assumam o posto de “psicólogos do esporte”. Tal fato deve-se ao desenvolvimento “precoce” (desde a década de 70) de estudos sobre temas pertinentes à psicologia do esporte nas escolas de educação física.

Resultado: quando os psicólogos começaram a se interessar pela área já existiam diversos professores de educação física inseridos na mesma, inclusive com diversas publicações. Como isso se comprova? Fácil….basta realizar uma revisão de literatura sobre temas da psicologia do esporte: o material está todo nas bibliotecas dos cursos de educação física. Ainda é difícil encontrar material nos cursos de psicologia. Desde o ano de 2000 o CFP (Conselho Federal de Psicologia) instituiu as especializações em psicologia. A psicologia do esporte é uma delas. Desde então a polêmica sobre quem está qualificado para atuar na área é bastante grande. Do lado da educação física a maior crítica ao profissional de psicologia refere-se justamente ao fato de que a graduação não oferece subsídios suficientes para quem queira ingressar na área.

Tal conhecimento somente tem sido oferecido em cursos de especialização que começam a surgir no país. Um outro ponto, conforme já anunciado refere-se ao papel do psicólogo junto ao esporte. Esporte mesmo é só o de alto rendimento, caracterizado pela competição e pela superação de marcas, índices e adversários. As outras práticas, mesmo que se utilizem de modalidades esportivas, são atividades físicas. O que as diferencia? O objetivo. Na atividade física o objetivo geralmente está relacionado à obtenção de saúde. No esporte nem sempre isso é verdade já que para a superação de si mesmo ou de outros se vai bem além dos próprios limites. No caso da atividade física a inserção do psicólogo parece bem fácil e natural. Já em relação ao esporte ficam ainda algumas dúvidas quanto ao limite de sua atuação. Essas e outras questões deverão ser discutidas aos poucos.

Comments are closed.