Homens satisfazem-se mais com sexo, segundo pesquisa

Homens de meia idade e homens mais velhos tendem a estar mais satisfeitos com sua vida sexual do que mulheres na mesma faixa etária, mostrou uma recente pesquisa.
Homens de meia idade e homens mais velhos tendem a estar mais satisfeitos com sua vida sexual do que mulheres na mesma faixa etária, mostrou uma recente pesquisa.
Uma grande quantidade de pessoas casadas ou que possuem um parceiro estável mantêm uma vida sexual ativa na segunda metade de suas vidas, afirmou a pesquisa, que entrevistou 27.500 pessoas de 29 países com idades entre 40 e 80 anos.

“A influência da idade sobre o nível de satisfação sexual foi muito pequena”, enquanto outros fatores, tais como problemas de saúde e casos de depressão, exerceram um impacto de peso, disse o pesquisador Edward Laumann, da Universidade de Chicago.

A pesquisa, publicada na revista Archives of Sexual Behavior, tentou avaliar como as pessoas viam sua vida sexual, sua saúde e seu nível de satisfação.

Ela descobriu que grande parte dos moradores da Europa, da América do Norte e da Austrália, onde os homens e as mulheres possuem relações mais ou menos igualitárias, têm prazer físico e emocional com o sexo, disse Laumann.

Uma porcentagem menor de pessoas imersas em culturas machistas de países mais pobres afirmou ter uma vida sexual satisfatória, mostrou a pesquisa.

Mas a distância entre homens e mulheres repetiu-se no mundo todo. “Há uma disparidade sistemática entre os homens e as mulheres. Os homens registram, em média — cerca de 10 pontos percentuais acima –, um nível maior de satisfação sexual do que as mulheres”, afirmou.

A maior parte dos entrevistados aleatoriamente eram casados. “O prazer não é parte da história” em culturas sexualmente conservadores do Extremo Oriente — China, Indonésia, Japão, Taiwan e Tailândia –, disse Laumann. “A procriação é o motivo por trás da relação sexual. Muitas mulheres caracterizam o sexo como algo sujo, ou como um dever, que suportam.” E elas, com frequência, deixam de praticá-lo depois dos 50 anos. Mas cerca de dois terços dos adultos em países ocidentais
relataram que sua vida sexual era extremamente satisfatória — apesar de, em alguns países, essa parcela da população parecer mais feliz do que em outros. Cerca de quatro de cada cinco austríacos de meia-idade, por exemplo, deram notas altas para sua vida sexual, enquanto um número menor de franceses e suecos expressou uma avaliação semelhante. Nos EUA, cerca de três quartos dos homens e dois terços das mulheres relataram estar muito satisfeitos com os aspectos físicos e
emocionais de sua vida sexual. No Japão, por outro lado, apenas 18 por cento dos homens e 10 por cento das mulheres responderam de forma positiva quando questionados. E, em Taiwan, somente 7 por cento das mulheres afirmaram que o sexo era muito importante em suas vidas. Ter satisfação sexual não é o mesmo que ter uma relação sexual satisfatória, mostrou a pesquisa, segundo Laumann.

“As pessoas que estão namorando possuem níveis mais altos de satisfação sexual do que os casais casados. Mas, quando elas se dão conta de que sua relação pode ser temporária, não se sentem tão confiantes em relação ao sexo”, disse.

Fonte: [url=http://today.reuters.com/News/News.aspx]http://today.reuters.com[/url]

Comments are closed.