Pressão estética ‘provoca distúrbios em meninos’

A pressão dos colegas e da mídia sobre meninos para que se adequem a padrões estéticos pode provocar distúrbios alimentares, diz um estudo britânico.
A pressão dos colegas e da mídia sobre meninos para que se adequem a padrões estéticos pode provocar distúrbios alimentares, diz um estudo britânico.
Há muito se sabe que imagens de modelos magérrimas e comparações com as amigas podem levar meninas a sofrer de problemas como anorexia e bulimia.

Mas um estudo publicado no [i]British Journal of Health Psychology[/i] mostra que meninos também são afetados.

Cerca de 500 adolescentes participaram do estudo.

Meninos e meninas afetados por distúrbios alimentares apresentam altos índices de insatisfação com seu próprio corpo.

Apesar disso, estudos sobre o assunto tendem a se concentrar apenas nas meninas, dizem os pesquisadores.

O objetivo desse estudo, segundo eles, é “preencher a lacuna na literatura” disponível.

A coordenadora da pesquisa é Emma Halliwell, psicóloga do Centre for Appearance Research da University of the West of England.

“Tendo em vista o aumento nos casos de distúrbios alimentares entre meninos, precisamos descobrir onde e como intervir”, disse Halliwell.

Um total de 507 adolescentes – 250 meninas e 257 meninos – com idades entre 11 e 16 anos participaram do estudo.

Eles falaram sobre como são afetados pela pressão para ser magros, como se sentem a respeito dos padrões culturais de beleza, como se vêem em relação aos colegas e se estão satisfeitos com a própria aparência.

Os adolescentes também falaram de seus hábitos alimentares: se faziam algum tipo de dieta, se tinham o hábito de comer descontroladamente, se induziam o vômito após comer e se tinham obsessão por comida.

Halliwell disse que os pesquisadores perceberam que os fatores que provocam distúrbios alimentares em meninos são os mesmos que afetam meninas.

Ela disse que ambos os sexos são afetados pela pressão exercida pelos colegas.

Outro fator importante é o que Halliwell chamou de índice de “internalização” por parte do adolescente.

Em outras palavras, até que ponto ele ou ela acredita que é importante se adequar a padrões físicos estabelecidos social e culturalmente.

“Para meninas, o importante é ser magra, para meninos, é ser musculoso”, disse Halliwell.

O estudo revelou também a principal diferença entre meninos e meninas na questão da auto-imagem: meninas sempre se vêem de forma negativa quando se comparam às amigas.

Entre os meninos, apenas aqueles que acham que seu peso está muito acima do normal tendem a fazer comparações negativas.

Comentando a pesquisa, uma porta-voz do National Centre for Eating Disorders disse que o fato de meninos estarem cada vez mais vulneráveis à pressão para se adequarem a padrões físicos é sintomática.

“Na cultura visual de hoje, os conceitos que influenciam a nossa auto-estima são muito limitados”, disse Deanne Jade.

“A diferença entre o que é aceitável e o que não é ficou muito pequena”, concluiu.

Fonte: [url=http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2006/05/060502_meninosbodyimagemv.shtml]http://www.bbc.co.uk[/url]

,

Comments are closed.