Sexo: muitas garotas se sentem pressionadas

Um novo estudo mostrou que garotas adolescentes freqüentemente fazem sexo sem desejo, pois se sentem pressionadas a fazê-lo, e o resultado pode ser um maior risco de contrair doenças sexualmente transmissíveis e gravidez indesejada.
Um novo estudo mostrou que garotas adolescentes freqüentemente fazem sexo sem desejo, pois se sentem pressionadas a fazê-lo, e o resultado pode ser um maior risco de contrair doenças sexualmente transmissíveis e gravidez indesejada.
Os pesquisadores entrevistaram 279 garotas, e muitas disseram que já fizeram sexo sem desejo alguma vez pois ficavam com medo do namorado ficar bravo.

As descobertas mostraram que os adolescentes – tanto garotas como garotos – precisam de ajuda na mediação de suas relações.

“Precisamos guiar os adolescentes para eles se comunicarem melhor com seus parceiros,” disse a autora do estudo Dra. Margaret Blythe, pediatra da Universidade de Indiana, em Indianápolis.

Segundo Blythe, isso significa que é preciso ajudar as garotas a terem um maior controle sobre suas atividades sexuais, e fazer os garotos entenderem o que significa para as meninas a pressão que elas sofrem.

O estudo abordou garotas com idades entre 14 e 17 anos, através de entrevistas periódicas, que contava com perguntas do tipo “Ele terminaria com você se não fizer sexo com ele ?” e “Ele ficaria bravo se você não quiser fazer sexo ?”.

No total, 41% afirmaram já ter feito sexo sem estar com vontade em algum momento, e a razão mais comum foi o medo de que o namorado ficasse bravo; 10% disseram que o parceiro já forçou elas a fazerem alguma vez; e 5% afirmaram ter feito sexo após o oferecimento de dinheiro ou presentes.

Entre as garotas que afirmaram já ter feito sexo sem desejo, foi observado uma diminuição do uso da camisinha, uma relação mais fria com o namorado e uma taxa alta de gravidez em relação às outras garotas.

Outras pesquisas já mostraram que estes casos podem mais tarde apresentar sintomas de depressão, ansiedade e transtorno de estresse pós-traumático.

Fonte: [url=http://news.yahoo.com/s/nm/20060606/hl_nm/teenage_girls_dc]http://news.yahoo.com[/url]

About Marina Bellissimo Rodrigues

,

Comments are closed.