Prisioneiros recém libertados apresentam alto risco para suicídio

Inúmeros estudos tratam da ocorrência de suicídios em internos em prisões, mas poucos avaliam esse tema após a libertação do preso.
Inúmeros estudos tratam da ocorrência de suicídios em internos em prisões, mas poucos avaliam esse tema após a libertação do preso.
Na última edição da revista “The Lancet,” foi publicada uma pesquisa, na qual se avaliou a taxa de suicídios em prisioneiros recém libertados de prisões da Inglaterra e País de Gales. O estudo utilizou uma base de dados nacional sobre suicídios.

Os pesquisadores identificaram 382 suicídios que ocorreram em 244.988 indivíduos em até um ano após a libertação da prisão, o que indica um índice de suicídios de 156 por 100.000 anos-pessoa. 21% dos suicídios ocorreram nos primeiros 28 dias após a libertação. Em todos os grupos de idade, os índices de suicídio foram maiores em prisioneiros recém libertados do que na população em geral.

Os resultados indicam, desta forma, a necessidade de uma abordagem especial para esse grupo de indivíduos, que podem sair do presídio apresentando inúmeros transtornos, devido à exposição prolongada ao stress e ao isolamento.

Fonte: [url=www.psycport.com]www.psycport.com[/url]

About Marina Bellissimo Rodrigues

,

Comments are closed.