Laptop faz norte-americano trabalhar mais durante as férias

O número de norte-americanos que trabalham durante suas férias quase dobrou na última década, com uma substituição do celular por laptops como a ferramenta mais útil aos funcionários de empresas.
O número de norte-americanos que trabalham durante suas férias quase dobrou na última década, com uma substituição do celular por laptops como a ferramenta mais útil aos funcionários de empresas.
Cerca de 43 por cento das pessoas que trabalham em escritórios revelaram que levam trabalho com elas nas férias, ante 23 por cento dos entrevistados em uma pesquisa feita em 1995, de acordo com levantamento realizado a pedido da Steelcase, uma fábrica de mobília para escritórios.

Em termos gerais, cerca de um quarto dos trabalhadores entrevistados diz que passou três ou mais horas trabalhando durante suas férias. A maioria afirmou que o motivo era dedicação ao trabalho ou uma tarefa urgente, e 10 por cento se declararam incapazes de relaxar até que os assuntos de trabalho estejam resolvidos.

Edward Hallowell, psiquiatra e autor de “Crazy Busy: Overstretched, Overbooked, and About to Snap!”, diz que a tendência provavelmente inclui pessoas que continuam a trabalhar por bons motivos, e não só por razões negativas.

“O bom motivo seria algo como uma pessoa que diz ‘olha, eu quero mesmo viajar com as crianças, mas tenho trabalho a fazer… por isso vou combinar trabalho e férias”‘, afirmou.

“O mau motivo seria alguém tão viciado em trabalho que se prove incapaz de deixá-lo de lado para qualquer fim. Quando o trabalho é a única forma de diversão que uma pessoa tem, isso é um problema”, acrescentou.

Para surpresa de ninguém, é a tecnologia que torna todo esse trabalho possível, ainda que a situação tenha mudado ao longo dos últimos 10 anos.

Na mais recente pesquisa, 41 por cento dos trabalhadores disseram que seus laptops facilitavam o trabalho nas férias, seguidos por celulares, computadores pessoais e aparelhos do tipo BlackBerry.

Em 1995, a maioria das pessoas mencionou primeiro o celular, seguido por pager, fax, laptop e computador pessoal.

“São ferramentas que podem ser muito libertadoras”, disse Hallowell. “Podem permitir que você se afaste do ambiente de trabalho, mas também escravizam. É tudo uma questão de como são usadas.”

A pesquisa entre 640 trabalhadores de tempo integral ou parcial em escritórios norte-americanos, selecionados aleatoriamente, foi conduzida pela Opinion Research Corporation.

Outra constatação foi a de que apenas 61 por cento dos norte-americanos empregam todo o tempo de férias a que têm direito.

Fonte: [url=http://ultimosegundo.ig.com.br/materias/saude/2465001-2465500/2465219/2465219_1.xml]http://ultimosegundo.ig.com.br[/url]

About Marina Bellissimo Rodrigues

Comments are closed.