Câncer infantil aumenta tendências suicidas, indica estudo

Os pensamentos e até as tentativas de suicídio persistem em adultos que foram diagnosticados com algum tipo de câncer durante a infância, diz um estudo publicado na revista “Journal of Clinical Oncology”.
Os pensamentos e até as tentativas de suicídio persistem em adultos que foram diagnosticados com algum tipo de câncer durante a infância, diz um estudo publicado na revista “Journal of Clinical Oncology”.
Segundo cientistas do Instituto do Câncer Dana-Farber, mais de uma em cada oito pessoas teve pensamentos suicidas ou tentou se suicidar muitos anos após receberem o tratamento contra a doença.

Os pesquisadores destacam no artigo que foram identificados sinais suicidas em mais de 12 % dos pacientes tratados em uma clínica para sobreviventes adultos de câncer, o que é uma proporção muito maior do que a esperada.

A descoberta deve incentivar os que atendem a esses pacientes a considerar mais os fatores emocionais e físicos depois do tratamento, ressaltaram os especialistas.

“A maioria se sente bem, mas existe uma grande preocupação com uma minoria de sobreviventes que pensa em se suicidar”, diz Christopher Recklitis, psicólogo e diretor de pesquisas do Instituto Dana-Farber.

Estudos anteriores já tinham indicado um aumento temporário das tendências suicidas entre pacientes de câncer pouco antes do diagnóstico da doença.

Segundo os autores do estudo, esta é a primeira pesquisa que demonstra um aumento dessas tendências suicidas muitos anos, e até décadas, depois do tratamento de câncer infantil.

Essa conclusão foi extraída de entrevistas com 226 adultos sobreviventes de câncer infantil realizadas, em média, 18 anos depois do diagnóstico inicial de vários tipos de tumor, exceto o cerebral.

Desse total, 100 homens e 126 mulheres, 29 admitiram ter tido pensamentos suicidas e nove disseram que já tinham tentado se suicidar.

Fonte: [url=www.sciencedaily.com]www.sciencedaily.com[/url]

Comments are closed.