Dormir mal afeta a vida sexual das mulheres

Aproximadamente 40% das mulheres apresentam disfunção sexual. Esta condição é frequentemente relacionada com a idade, sendo ligada a uma diminuição das taxas de estrógeno circulante. Entretanto, é sabido que outras condições médicas, tais como a hipertensão arterial e o diabetes podem também ter um papel na disfunção sexual feminina.
Aproximadamente 40% das mulheres apresentam disfunção sexual. Esta condição é frequentemente relacionada com a idade, sendo ligada a uma diminuição das taxas de estrógeno circulante. Entretanto, é sabido que outras condições médicas, tais como a hipertensão arterial e o diabetes podem também ter um papel na disfunção sexual feminina.
Uma pesquisa turca, publicada na edição on-line da revista Journal of Sexual Medicine, avaliou a função sexual de 25 mulheres na fase de pré-menopausa, com uma média de idade de 48 anos. As mulheres tinham um diagnóstico de apnéia obstrutiva do sono. Todas elas eram casadas, e mantinham uma média de três relações sexuais por mês. Na avaliação feita, a apnéia do sono de cada mulher foi classificada como leve, moderada, ou grave, dependendo da severidade dos distúrbios respiratórios durante o sono.

Os resultados mostraram que, à medida que a gravidade da apnéia do sono aumentava, a função sexual diminuía entre as pacientes avaliadas. Aquelas que apresentavam quadros de gravidade máxima de apnéia do sono tinham o desejo sexual significativamente reduzido, com diminuição das sensações, da lubrificação, do orgasmo, e da qualidade das relações com os seus parceiros, se comparadas com mulheres com casos leves deste distúrbio do sono.

Fonte: [url=http://boasaude.uol.com.br/news/index.cfm?news_id=6561]www.bibliomed.com.br[/url]

Comments are closed.