Acupuntura: efetiva, rápida, científica e milenar

Alex Sandro Tavares da Silva
Psicólogo – CRP 07/11807
Mestre em Psicologia (UFRGS)
Esp. em Acupuntura e Eletroacupuntura (CBA/RS)
Fones (51): 9183-5253 / 3242-4750
E-mail: alextavares@gmail.com
Site: http://alextavares.cjb.net
Porto Alegre – RS – Brasil

O QUE É ACUPUNTURA?
Acupuntura, do latim acu (agulha) e puntura (picada), chamada no oriente de "Chen-Chui" ou "Tchenntsiou", é uma prática de origem chinesa que existe há mais de 5 mil anos, e que hoje é utilizada por alguns profissionais da saúde. No primeiro livro de Acupuntura, "Nei Tsing", temos que essa prática terapêutica já era utilizada, com lascas de pedras, por civilizações muito antigas, como na época da dinastia "Tcherou" de 18.000 à 3.000 a.C..
A Acupuntura busca a promoção da saúde e bem-estar do paciente através do puncionar de finíssimas agulhas especiais (de ouro, prata ou aço inoxidável) em determinadas regiões do corpo chamadas de "acupontos" (pontos de acupuntura) e em diferentes profundidades da pele. É uma excelente estratégia preventiva para inúmeras patologias, além de ser uma terapêutica rápida e eficaz no tratamento de doenças. Essa prática busca o equilíbrio físico, mental e energético do paciente.

Está provado cientificamente que a estimulação da pele (cutânea) pela Acupuntura causa uma respostas reflexas ("efeito bioelétrico") no sistema nervoso, liberação de endorfinas, encefalinas, dinorfinas, aumento da concentração de serotonina no líquido cefaloraquidiano (LCR), etc. levando a homeostase e conseqüente prevenção, diminuição da dor, tratamento ou cura de inúmeras doenças (ex.: mentais, emocionais, orgânicas, comportamentais).
Hoje temos também estímulos não invasivos, sem agulhas, como por exemplo: uso de eletricidade, calor, pressão, massagem, ímã, semente, esparadrapo. Esses métodos estão ganhando gradualmente mais espaço nessa atividade terapêutica. Outros recursos são: eletroacupuntura, sangria, moxabustão, shiatsuterapia, ventosaterapia, fitoterapia, raio laser, eletromagnetoterapia, auriculoterapia, craniopuntura, quiropuntura, etc.

A Acupuntura busca promover um equilíbrio geral no organismo, pois tem como base teórico-filosófica a idéia de que nenhuma doença existe isoladamente; a manifestação patológica sempre está associada a algum desequilíbrio geral do sistema (físico, mental, energético). Ou seja, além do sintoma principal, o qual trouxe o paciente ao consultório, haverão outros sintomas, mesmo de menor importância, que são reflexos do mesmo desequilíbrio; esses (quando tratados corretamente) promoverão a saúde do paciente como um todo e não apenas de uma determinada área do tecido orgânico.

ACUPUNTURA NO BRASIL
Alguns pesquisadores dizem que a Acupuntura já era utilizada no Brasil muito antes de 1500, quando os índios cravavam espinhos em sua pele para tratar suas doenças. Mas foi a partir de 1810 que a Acupuntura em Medicina Tradicional Chinesa (MTC) chegou ao nosso território com os imigrantes chineses, os quais tinham o objetivo de cultivar as lavouras de chá.
Em 1898 os imigrantes japoneses, sem formação superior, introduziram sua forma de utilizar a Acupuntura aqui no Brasil.
A Acupuntura passa a ser praticada, ensina e pesquisada com mais vigor no nosso território nos anos 1950. Em 1953 o fisioterapeuta Dr. Frederico Spaeth (Friedrich Johann Spaeth, brasileiro de origem austríaca) já fazia uso dessa prática clínica e em 1958 ele ministrou o 1º Curso de Formação em Acupuntura para vários profissionais de saúde (fisioterapeutas, psicólogos, enfermeiros e outros), depois de fundar o "Instituto Brasileiro de Acupuntura"
Desde 29 de outubro de 1985 a formação, o diagnóstico, a pesquisa, a prática da Acupuntura vem sendo regulamenta no Brasil por determinados Conselhos Federais da área da saúde, órgãos que orientam e fiscalizam o exercício profissional dos seus respectivos profissionais de nível superior. Esses pós-graduados em Acupuntura são absolutamente responsáveis pelos seus atos, inclusive criminalmente.

A UNIÃO ENTRE TERAPEUTAS OCIDENTAIS E ORIENTAIS
Esse recurso da área da saúde, a Acupuntura, ficou isolado de muitos cientistas ocidentais durante vários anos (milênios).
Desde 1966 a OIT (Organização Internacional do Trabalho) colocou a Acupuntura como uma das profissões da CIUO (Classificação Internacional Uniforme de Ocupações). Em 1975 a Acupuntura foi regulamentada nos Estados de Nova York e Califórnia em nível multiprofissional.
A força dessa terapêutica fez com que em dezembro de 1979 a Organização Mundial de Saúde (OMS), na sua produção "Revista Saúde no Mundo", reconhecesse a eficiência da Acupuntura. Além disso, a OMS propôs que a prática mundial da Acupuntura seja multiprofissional.
Até mesmo pessoas com anestesia geral sentem os benefícios da Acupuntura.
A pesquisa ética e científica em Acupuntura é fundamental, pois poderá mostrar articulações importantes entre o seu conhecimento e pesquisa oriental e ocidental. Com esse processo em andamento poderemos, cada vez mais, divulgar uma grande aceitação e incorporação da Acupuntura nos processos de tratamentos naturais e científicos exercidos também no ocidente. Ou seja, as pesquisas sobre as bases fisiológicas, psicológicas, químicas, etc. da Acupuntura poderão contribuir para o desenvolvimento de várias outras áreas dos profissionais da saúde (ex.: neurociência, do nível comportamental e psicológico ao químico, molecular).
A "Sociedade de Medicina Tradicional Chinesa" divulga mais de 360 doenças tratáveis pela Acupuntura. Em alguns casos só a Acupuntura é suficiente e efetiva. Em outras situações há a necessidade de associação com outras formas de terapia. Nesse caso, o uso de medicamentos é diminuído, e seus efeitos colaterais são minimizados pela Acupuntura. Além disso, vários psicólogos têm mostrado, cientificamente, que o "casamento" da PSICOterapia com a Acupuntura produz saúde nos pacientes de forma efetiva, rápida e duradoura, sem necessitar de remédios.

COMO FUNCIONA A ACUPUNTURA?
Existem basicamente duas explicações para os efeitos terapêuticas da Acupuntura:
1. A explicação tradicional (filosófica) diz que a estimulação dos pontos de Acupuntura faz com que a energia (estagnada, em excesso ou em escassez) volte a fluir livremente pelo corpo, levando ao equilíbrio energético, psicológico e biológico.
2. A explicação contemporânea (científica) diz que a estimulação das fibras sensitivas A, B e C através da Acupuntura faz com que ocorra uma transmissão elétrica via neurônio (célula nervosa). Esse fenômeno pode ser medido em milivolts. Essa alteração do "potencial de ação" celular desencadeia um fenômeno bioquímico que chega ao cérebro e o mesmo libera substâncias (ex.: endorfinas, encefalinas, dinorfinas, serotonina) que causam bem-estar, prevenção e tratamento de doenças, sejam elas psicológicas, biológicas e/ou comportamentais.

EXEMPLOS DE TRATAMENTOS EM ACUPUNTURA
Apresento uma pequena parte dos resultados divulgados pela OMS (http://www.who.int/topics/acupuncture/en/) acerca do uso e da eficácia da Acupuntura:
• Álcool – Diminui a necessidade de ingerir álcool.
• Ansiedade – Eficácia superior à medicação convencional, mas sem efeitos colaterais.
• Asma – Efeito antiasmático em 93% dos casos e maior ventilação pulmonar em 68%.
• AVC (seqüela): dificuldade de articular palavras. Eficácia em 90% dos casos.
• Cirurgia cerebral – Cura dos sintomas pós-operatórios em 86% dos casos.
• Cocaína – Diminuição dos sintomas da abstinência em 44% dos casos.
• Cólon irritado – Melhora significativa em 93% dos casos.
• Convalência – Efeito analgésico superior e mais rápido que a medicação convencional no pós-operatório.
• Depressão – Eficácia similar à medicação convencional, mas sem efeitos colaterais.
• Desintoxicação de álcool – Redução do álcool no sangue.
• Desintoxicação de tabaco – Redução da concentração de nicotina.
• Dor de cabeça – Alívio imediato em 80% dos casos.
• Dor menstrual – Melhora em 91% dos casos.
• Ejaculação precoce – Eficácia em 83% dos casos.
• Enxaqueca – Eficácia em 80% dos casos.
• Esquizofrenia – Eficácia superior à da medicação convencional (78% dos casos).
• Heroína – Diminuição dos sintomas da abstinência (anorexia, suor espontâneo e insônia) e redução da freqüência do uso de heroína.
• Hiperacidez no estômago – Eficácia em 95% dos casos.
• Hipertensão – Eficácia similar à medicação convencional, mas sem efeitos colaterais.
• Hipotensão – A pressão foi normalizada em 95% dos casos.
• Impotência sexual (não orgânica) – Eficácia em 60% dos casos.
• Insônia – O sono foi totalmente normalizado em 98% dos casos.
• Obesidade – Supressão do apetite em 95% dos casos.
• Policisto no ovário – Cura obtida em 94% dos casos.
• Reações adversas ao tratamento de radioterapia e/ou quimioterapia – Náuseas, vômitos e falta de apetite foram eliminadas em 93% dos casos.
• Retardo mental – Aumento de 21% no QI e de 18% na adaptação social.
• Síndrome do estresse competitivo – Eficácia em 93% dos casos
• Tabaco – Diminuição da vontade de fumar em 13% dos casos. Redução no hábito de fumar em 20% dos casos. Redução no prazer de fumar em 70% dos casos.
• TPM – Alívio completo dos sintomas, sem recorrência por 6 meses, em 92% dos casos.

Saiba muito mais sobre a Acupuntura visitando a "AcupunturaS" (Revista Eletrônica):
http://www.acupunturas.pop.com.br

Comments are closed.