RedePsi - Psicologia

Colunistas

Nessa casa tem goteira!

Será que o Brasil tem condições de sediar eventos esportivos de grande porte? Acontecimentos recentes parecem apontar para um panorama desanimador.
Quem assistiu o Mundial de Basquetebol Feminino, realizado recentemente em São Paulo, com certeza pode perceber que o teto do Ginasio do Ibirapuera deixava passar pequenas "cachoeiras" para dentro da quadra. Jogos tendo de ser interrompidos, atrasos e improviso marcaram a realização do torneio. Não podemos nos esquecer de que a popularidade do basquetebol é bem grande em muitos países, mais até do que em nosso próprio país. Assim sendo você consegue imaginar quantos estrangeiros puderam ver as cenas da água enxarcando a quadra? Pois é…. E daí? Na Copa das Confederações não choveu naquele moderno estádio alemão? Choveu, é verdade. Mas também é verdade que cobrir um campo de futebol é um supérfluo, um luxo para poucas sociedades. Mas, manter seca uma quadra (teóricamente) coberta é obrigação! Veja que o Ginásio do Ibirapuera é um dos mais importantes do País! Aí, começo a me perguntar por que queremos nos candidatar a sede da Copa do Mundo de Futebol de 2014. Não será um sonho grande demais? Veja o exemplo do Pan Americano de 2007 no Rio. O que já está pronto? O que falta? Não sei se o distinto internauta está por dentro mas além de faltar muito para ser construído ou reformado nós não temos muito tempo. Restam cerca de 9 meses para o inicio do evento! Por estes dias fiquei sabendo que boa parte das provas náuticas (vela) serão realizadas na Marina da Gloria. Ocorre que parte das instalações é tombada como patrimônio histórico e já se cogita mudar o local das comeptições ou mesmo cancelá-las!!! O que pode ter acontecido? Quem propôs o local não o conhecia ou não sabia o que estava propondo? Bom, essa é apenas uma amostra do modo como a maioria de nós brasileiros levamos a vida: correndo atrás, ignorando as possibilidades de um bom planejamento. Quanto a Copa de 2014, a qual ainda é apenas um sonho (diferente do Pan Americano que agora se tronopu obrigação), para esta sim falta muito: seria necessário construir 12 novos estádios, sem falar da infraestrutura de transporte, saúde, estadia e segurança. Quais as prioridades para o nosso povo? Estadios ou hospitais e escolas? Claro que um evento deste porte tras investimentos internacionais e deixa estrutura "permanente" que poderá ser utilizada posteriormente. Mas como podemos almeijar tal evento e seus beneficios se não conseguimos nem sequer tapara os furos do teto de um ginásio? Como poderemos convencer as instâncias decisórias de que podemos organizar eventos desse porte se não damos conta de eventos mais simples? E, por fim, o que o psicólogo tem com isso? Bom, a coluna está relacionada à psicologia do esporte. No caso, ainda não contamos com investimentos básicos de estrutura e pessoal para o esporte e atividade física. Imagine, então o mercado de trabalho para os psicólogos no esporte…

Acesso à Plataforma

Assine a nossa Newsletter