Pesquisa analisa saúde de controladores de tráfego aéreo

A saúde dos operadores de tráfego aéreo em São Paulo e sua influência na segurança dos vôos que se realizam todos os dias nesta cidade foi tema da dissertação de mestrado defendida na Faculdade de Saúde Público (FSP) da USP em 2000, pela pesquisadora Rita de Cássia Seixas Sampaio Araújo, sob orientação do Prof Dr René Mendes.

A saúde dos operadores de tráfego aéreo em São Paulo e sua influência na segurança dos vôos que se realizam todos os dias nesta cidade foi tema da dissertação de mestrado defendida na Faculdade de Saúde Público (FSP) da USP em 2000, pela pesquisadora Rita de Cássia Seixas Sampaio Araújo, sob orientação do Prof Dr René Mendes.

A pesquisadora realizou um estudo com objetivo de avaliar as representações sociais dos controladores de tráfego aéreo sobre sua saúde e sobre as práticas de saúde desenvolvidas pelo sistema de Saúde da Aeronáutica, tendo em vista uma possível contribuição para a adoção de práticas de promoção e proteção da saúde e segurança da aviação.

Desenvolveu-se um estudo qualitativo, utilizando-se a técnica do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC), por meio de entrevistas semi-estruturadas, com 12 participantes do Controle de Aproximação da Área Terminal São Paulo. Foi possível caracterizar, em primeiro lugar, o funcionamento do Controle de Tráfego Aéreo neste Terminal e, em segundo lugar, conhecer as representações sociais destes trabalhadores sobre o trabalho no Controle de Tráfego, a experiência com o risco no cotidiano do trabalho; as relações do controlador com a hierarquia militar; os rumos possíveis para o trabalho no controle de tráfego aéreo e das práticas de saúde destes trabalhadores.

Pôde-se observar a existência de dificuldades em se produzir qualquer alteração de ordem sistêmica e administrativa. O aspecto da tecnologia aparece como relevante e, em muitas situações, as falhas no sistema são apontadas como geradoras de risco. No entanto, tornou-se evidente que o controle de tráfego aéreo é muito mais um problema social e institucional, uma vez que existem interesses diversos dos diferentes atores envolvidos: trabalhadores, aeronáutica, companhias aéreas e usuários. A incorporação do saber do trabalhador por meio da metodologia do DSC permitiu o acesso a uma cultura organizacional, qualitativamente diferente da “coletividade matemática”, e que deve ser conhecida antes de qualquer intervenção no campo da Saúde do Trabalhador.

Atualmente a pesquisadora Rita de Cássia, trabalha como Assistente Técnica da COVISA – Coordenação de Vigilância em Saúde do Município de São Paulo, na Sub Gerência de Saúde do Trabalhador, tendo sido convidada, pelo Ministério Público do Trabalho a participar da ação que investigará as condições de saúde do controlador de tráfego aéreo na atual conjuntura, após a deflagração da fragilidade deste sistema, como era previsto neste estudo finalizado há seis anos.

Mais informações sobre a dissertação de mestrado “O trabalho e as Práticas de Saúde do Controlador de Tráfego Aéreo” podem ser conseguidas com a pesquisadora Rita de Cássia Seixas Sampaio Araújo pelo tel. 3673-6372, 3350-6688, 8147-4851 , e-mail; ritasamps@uol.com.br .

About Marina Bellissimo Rodrigues

Comments are closed.