Cocaína altera proteínas do cérebro, mostra estudo

Na primeira análise de larga escala das proteínas encontradas no cérebro de dependentes de cocaína, pesquisadores descobriram substâncias e mecanismos que, futuramente, poderão dar origem a novas opções de tratamento.
Na primeira análise de larga escala das proteínas encontradas no cérebro de dependentes de cocaína, pesquisadores descobriram substâncias e mecanismos que, futuramente, poderão dar origem a novas opções de tratamento.
Os resultados descritos na edição atual do periódico Molecular Psychiatry, mostra diferenças na quantidade de 50 proteínas distintas, e aponta profundas mudanças na função cerebral, associadas ao uso de cocaína por longos períodos, segundo afirmou o Pesquisador Scott E. Hemby.

Hemby e colegas analisaram milhares de proteínas do tecido cerebral de indivíduos que morreram devido a overdose de cocaína, e com isso, puderam comparar estes resultados com o perfil dos tecidos de pessoas mortas por outras causas.

A análise de milhares de proteínas mostrou diferenças, entre os dois grupos, na quantidade de 50 moléculas, o que, na maioria dos casos, correspondia a mudanças na capacidade das células do cérebro de fortalecer suas conexões e estabelecer comunicação.

Fonte: [url=http://www.antidrogas.com.br/mostranoticia.php?c=3412&msg=Coca%EDna]www.antidrogas.com.br[/url]

,

Comments are closed.