Trocar noite pelo dia reduz tempo de vida

O [i]jet lag[/i] e o trabalho em turnos (plantões) podem ser mais perigosos do que as pessoas pensam, sugere uma pesquisa com animais de laboratório. Isto é o que revela estudo publicado na revista [i]Current Biology[/i], de novembro de 2006.

O [i]jet lag[/i] e o trabalho em turnos (plantões) podem ser mais perigosos do que as pessoas pensam, sugere uma pesquisa com animais de laboratório. Isto é o que revela estudo publicado na revista [i]Current Biology[/i], de novembro de 2006.

Pesquisadores da Universidade da Virgínia avaliaram que, uma troca no horário, de seis horas tempo, uma vez a cada semana, por até oito semanas, acelera a morte em camundongos mais velhos. A troca nos turnos de tempo geralmente não é fatal para animais jovens.

No estudo, 53% dos camundongos mais velhos, colocados em um esquema de horário com avanço do tempo, morreram em 8 semanas, quando comparados com 17% dos camundongos mais velhos, que mantiveram um horário normal.

Os investigadores concluíram, que as diferenças dramáticas na morbidade, associadas a avanços do relógio biológico, levantam uma discussão importante sobre a segurança de trabalhadores, que necessitam efetuar trocas de horários e as conseqüências desta situação para a saúde, a longo prazo, para tripulantes de linhas aéreas, que cruzam zonas de tempo.

Fonte: [url=http://boasaude.uol.com.br/news/index.cfm?news_id=6657]www.uol.com.br[/url]

About Marina Bellissimo Rodrigues

Comments are closed.