Respirar fundo ajuda no controle dos efeitos do estresse

Para diminuir as chances de o estresse levar a uma lesão, o remédio –considerado amargo por muitos técnicos e jogadores– é o apoio psicológico. “A psicologia do esporte foi banalizada com as técnicas motivacionais”, diz Cozac, ao explicar o preconceito contra a área.

Para diminuir as chances de o estresse levar a uma lesão, o remédio –considerado amargo por muitos técnicos e jogadores– é o apoio psicológico. “A psicologia do esporte foi banalizada com as técnicas motivacionais”, diz Cozac, ao explicar o preconceito contra a área.

O trabalho, porém, é muito mais abrangente, afirma Katia Rubio, professora da Escola de Educação Física e Esporte da USP (Universidade de São Paulo). Para ela, não adianta motivar uma pessoa se ela não consegue lidar com os episódios que a deixam tensa e ansiosa.

“Não é a situação que é estressante, mas o significado atribuído a ela. Correr uma maratona é estressante? Depende de como você encara isso”, diz ela. “O psicólogo ajuda a construir esse significado.”

Simone Sanches, psicóloga esportiva da equipe de atletismo Orcamp, em Campinas (SP), acompanhou um corredor cujo pai morreu dias antes de uma competição. Ele conseguiu fazer a prova sem problemas, transformando a perda do pai em um estímulo. “Ele decidiu dedicar a corrida ao pai.”

Para quem gosta de se exercitar mas não tem apoio especializado, duas dicas são aprimorar a respiração abdominal profunda, que ajuda a relaxar, e evitar pensamentos negativos ou antecipatórios, diz Rossi.

Em momentos decisivos da partida, vale apelar para rituais que liberem a tensão, como dar pequenos pulos, assobiar ou gritar, sugere Gomes.

Com um pouco de controle sobre a ansiedade, é possível sim seguir aquela dica tão comum e usar o esporte como um aliado contra o estresse.

“Fazer uma atividade física libera endorfinas e dá prazer”, diz Rubio. “Mas muitos colocam a competição acima do prazer, e a atividade se torna fonte de mais estresse. O esporte não deve gerar lesões, e sim favorecer a qualidade de vida.”

Fonte: [url=http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u4300.shtml]Folha Online[/url]

About Marina Bellissimo Rodrigues

Comments are closed.