Cientistas estudam vacina contra Alzheimer

Cientistas da Universidade da Califórnia estão desenvolvendo uma vacina que pode ser usada no tratamento do mal de Alzheimer.
Cientistas da Universidade da Califórnia estão desenvolvendo uma vacina que pode ser usada no tratamento do mal de Alzheimer.
Eles injetaram a vacina em ratos que receberam genes humanos para poder desenvolver a doença. Com a vacina, os ratos transgênicos se mostraram capazes de evitar o surgimento das placas que se formam no cérebro e são características da doença.

Os cientistas também descobriram que a substância pode evitar a formação de emaranhados de uma proteína que, acredita-se, consegue destruir as células do cérebro desde seu interior.

Os resultados da pesquisa foram divulgados na revista científica Neuron.

Eliminação

Um dos sintomas do mal de Alzheimer é a formação de depósitos de uma proteína chamada beta amilóide.

Alguns cientistas defendem a teoria de que a beta amilóide leva ao desenvolvimento de uma outra proteína, a tau, que agiria no interior das células cerebrais.

No estudo, os cientistas aplicaram a vacina em ratos geneticamente modificados de modo a terem genes humanos e, assim, desenvolverem as placas que atingem o cérebro quando se tem a doença.

Eles injetaram a droga no hipocampo – área do cérebro responsável pelo aprendizado e pela memória.

As placas desapareceram depois de três dias.

E os emaranhados da proteína tau sumiram dois dias depois que as placas haviam sido destruídas.

Trinta dias depois, as placas estavam começando a se formar novamente, mas as taus, não.

Isso sugere que os emaranhados desta proteína aparecem em uma etapa em que a doença está mais desenvolvida.

Os pesquisadores liderados por Frank LaFerla escreveram em seu artigo que os resultados “indicam que a imunização pode ser útil para eliminar ambas as lesões características do mal de Alzheimer, desde que ela ocorra no seu princípio”.

Fonte: [url=http://www.bbc.co.uk/portuguese/ciencia/story/2004/08/040805_alzheimerro.shtml]BBC Brasil[/url]

About Marina Bellissimo Rodrigues

Comments are closed.