Déficit de atenção e alcoolismo

A associação entre transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) e alcoolismo, que tem sido objeto de discussão há tempos, foi destacada por dois novos estudos feitos nos Estados Unidos.
A associação entre transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) e alcoolismo, que tem sido objeto de discussão há tempos, foi destacada por dois novos estudos feitos nos Estados Unidos.
Os autores das pesquisas afirmam que o TDAH representa um fator de risco para problemas com uso de bebidas alcóolicas, que começariam por volta dos 15 anos. Os resultados apontam que fatores como pais alcóolatras ou estresse familiar podem facilitar o desenvolvimento do problema. Os estudos estão publicados na edição de abril do periódico Alcoholism: Clinical & Experimental Research.

“Crianças com TDAH têm maior risco de desenvolver alcoolismo devido a sua impulsividade e distração, bem como por conta de outros fatores que costumam acompanhar o transtorno, como baixo aproveitamento escolar e problemas de comportamento”, disse Brooke Molina, professora da Universidade de Pittsburgh que participou dos dois estudos.

No primeiro estudo, os pesquisadores entrevistaram participantes de um grande levantamento feito no estado de Pittsburgh. Crianças diagnosticadas com TDAH (364 no total) foram entrevistadas na adolescência (entre 11 e 17 anos) e na fase adulta (de 18 a 28 anos). Um grupo de 120 adolescentes e outro de 120 adultos sem o transtorno serviu para comparação dos resultados. O uso de álcool foi determinado por questionários e entrevistas.

“Verificamos que crianças com TDAH se mostraram posteriormente mais propensas a beber pesadamente e a apresentar problemas suficientes relacionados à bebida para serem diagnosticadas como dependentes, entre os quais brigas com os pais, queda nas notas na escola e dificuldade para controlar a quantidade de bebida ingerida”, disse Brooke.

Os resultados indicaram que jovens entre 15 e 17 anos com TDAH se embebedaram em média 14 vezes no ano anterior, contra apenas 1,8 vez do grupo de mesma faixa etária sem o transtorno. Enquanto no primeiro grupo 14% foram diagnosticadas com abuso ou dependência de álcool, no segundo grupo não houve um único caso.

“Aparentemente, um dos motivos para inconsistências em estudos anteriores sobre o assunto é que a relação entre o TDAH e o alcoolismo não se solidifica antes da adolescência média [de 15 a 17 anos]”, disse Stephen Hinshaw, chefe do departamento de psicologia da Universidade da Califórnia em Berkeley, em comentário sobre os estudos.

Outro grave resultado obtido pelo estudo foi que entre as crianças com TDAH que apresentaram casos mais sérios e persistentes de comportamento, 42% tiveram problemas de abuso ou dependência de álcool quando na faixa entre 18 e 25 anos. Os pesquisadores pretendem continuar o estudo com os mesmos voluntários, para avaliar a extensão da relação em adultos.

Segundo a Associação Brasileira do Déficit de Atenção (ABDA), o TDAH – também conhecido como distúrbio do déficit de atenção (DDA), é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e freqüentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade.

Riscos familiares

No segundo estudo publicado na Alcoholism, Brooke Molina e colegas entrevistaram 142 adolescentes diagnosticados com TDAH e 100 outros sem o transtorno. O foco foi comportamental, incluindo perguntas sobre eventos negativos e episódios de alcoolismo na família.

“Uma das razões por que crianças com TDAH apresentam maior risco de desenvolver problemas relacionados ao uso de álcool é que o alcoolismo e o transtorno tendem a se manifestar em famílias. Verificamos que fatores como pai ou mãe com histórico de alcoolismo e estresse familiar estavam relacionados a problemas mais sérios com uso de álcool nos filhos. Em resumo, quando uma criança tem TDAH e um pai ou mãe que sofra ou tenha histórico de alcoolismo ela terá um risco aumentado de desenvolver o mesmo problema”, disse Brooke.

A pesquisadora ressalta que os estudos apontam que o TDAH representa um fator de risco ao desenvolvimento de problemas com o uso de álcool, mas que isso obviamente não implica que todas as crianças com o transtorno se encaixarão nesse quadro no futuro.

Os artigos Attention-deficit/hyperactivity disorder risk for heavy drinking and alcohol use disorder is age specific e Attention-deficit hyperactivity disorder moderates the life stress pathway to alcohol problems in children of alcoholics podem ser lidos por assinantes da Alcoholism: Clinical & Experimental Research em www.blackwell-synergy.com/toc/acer/31/4.

Para saber mais sobre o transtorno do déficit de atenção com hiperatividade: www.tdah.org.br

Fonte: [url=http://www.agencia.fapesp.br/boletim_dentro.php?id=6921]Agência FAPESP[/url]

,

Comments are closed.