Aspirina pode aumentar o risco de derrame, diz estudo

Idosos saudáveis que tomam aspirina regularmente para impedir derrame podem, na verdade, fazer com que o risco de desenvolver o problema aumente.
Idosos saudáveis que tomam aspirina regularmente para impedir derrame podem, na verdade, fazer com que o risco de desenvolver o problema aumente.

Nos últimos 25 anos, a incidência de derrames associados a medicamentos para tornar o sangue menos denso tais como a aspirina ou warfarina aumentou sete vezes, de acordo com um estudo britânico.

O risco é especialmente alto em pessoas com mais de 75 anos de idade, e a aspirina pode prejudicar mais do que beneficiar pessoas idosas, noticiou a publicação Lancet Neurology.

Mas pessoas que recebem a recomendação médica de tomar aspirina diariamente não devem interromper a prática.

Pesquisadores da Universidade de Oxford compararam dados de casos de derrame cerebral hemorrágico – um tipo de derrame causado por um sangramento no cérebro – de 1981-85 e 2002-06.

Eles constataram que o número de casos de derrame causado por pressão alta diminuiu em 65%, o que, para as pessoas com menos de 75 anos, significou uma redução pela metade da incidência geral.

Mas em pessoas com mais de 75 anos de idade, a incidência se manteve a mesma num período de 25 anos.

Um exame mais detalhado dos dados mostrou um aumento no número de derrames em pacientes que tomavam drogas para diluir o sangue, conhecidas como antitrombóticas.

No primeiro estudo a proporção de pacientes de derrame que usavam drogas antitrombóticas foi de 4%, mas duas décadas depois esse índice aumentou para 40%.

Estilo de vida

Portadores de doenças cardiovasculares, que possuem alto risco de desenvolver um coágulo sangüíneo, tiveram prescritos medicamentos como aspirina para diluir o sangue e reduzir o risco de ataque cardíaco ou derrame.

Mas muitos idosos saudáveis também tomam aspirina regularmente em uma tentativa de afastar a possibilidade de derrame.

O líder do estudo, Peter Rothwell, disse que o aumento do uso de drogas tais como a aspirina também podem, em breve, superar a pressão alta como principal causa do derrame estudado em pessoas com mais de 75 anos.

Rothwell advertiu que, entre adultos mais idosos saudáveis, os perigos de se tomar aspirina eram maiores do que os eventuais benefícios.

"Clínicos gerais vem tratando pressão alta de maneira muito intensa e isso está gerando dividendos, mas há outras causas de derrames em idosos que se tornaram importantes."

"Há boas razões para tomar aspirina ou warfarina, mas há idosos que tomam aspirina como estilo de vida e, nesta situação, os testes demonstraram que não há benefício."

"E o que nosso estudo sugere é que, especialmente em pessoas muito idosas, os riscos da aspirina superam os benefícios", afirmou.

Peter Coleman, vice-diretor de pesquisa e desenvolvimento da Associação pelo Derrame, disse que a aspirina ganhou uma reputação de ser parte de um estilo de vida saudável.

"Mas estas evidências indicam que se você for saudável e tem um risco baixo de doenças cardíacas ou derrame, se não receber uma prescrição de seu clínico geral para tomar aspirina diariamente, então o aumento dos riscos de efeitos colaterais da aspirina provavelmente vão superar os benefícios de prevenir um derrame."

Coleman aconselhou as pessoas a reduzirem o risco de derrame submetendo-se a verificações regulares da pressão sangüínea, adotando uma dieta saudável, parando de fumar e fazendo exercícios regulares.

Fonte: BBCBrasil

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.

Comments are closed.