Adolescência e Masculinidade

A adolescência é o período da vida em que o homem busca o desenvolvimento e a afirmação da sua identidade, incluindo a identidade de gênero. Nessa busca de identidade há períodos de confusão e pode haver flutuações entre várias identidades. O adolescente vai fazendo suas escolhas espelhando-se nos modelos que lhe são significativos.

Quanto à masculinidade, os modelos retrógrados de machismo ainda continuam sendo oferecidos, embora sua falência já esteja assinalada. No entanto, nota-se a ausência de novos modelos que possam dar conta da complexidade da identidade masculina no contemporâneo. Assim, o conflito do adolescente torna-se ainda mais difícil, pois ele se vê entre modelos que não satisfazem mais à sociedade, mas que ainda são os únicos oferecidos e a necessidade de modelos novos que ainda não existem.


A falta de modelos seguros oferecidos pela sociedade para que os adolescentes possam desenvolver e desempenhar bem sua masculinidade, gera uma insegurança que  pode levar o jovem homem a buscar sua afirmação de forma agressiva, envolvendo-se em atos de violência contra outros membros da sociedade ou contra o patrimônio construído por esta.

Além disso, adolescência é predominantemente recebida pela sociedade de forma hostil e numa atitude defensiva, tenta-se isolar o adolescente do mundo dos adultos. Isso fica claro com respeito à masculinidade, pois pouco se fala sobre o assunto e os modelos estão ausentes ou ultrapassados.


No entanto, é necessário que o adolescente desenvolva uma identidade masculina que lhe dê acesso ao mundo adulto. Assim, o sentimento de não pertencer a nenhum lugar torna-se mais angustiante e a procura por modelos pode levá-lo a identificação com figuras negativas e/ou agressivas, na necessidade vital de pertencimento, pois é preferível ser reconhecido como aquele que incomoda, que perturba, que é agressivo, que destrói, do que não ser reconhecido.


É evidente, principalmente nas escolas, onde há concentração de um grande número de adolescentes, o aumento da violência e da agressividade, principalmente por parte dos meninos maiores de doze anos. Sem entrar no mérito das questões sociais que favorecem o aumento da violência de uma forma geral em qualquer contexto, acho pertinente levantar aqui a questão da necessidade de afirmação sexual, para a qual a única alternativa encontrada por muitos jovens está sendo sua afirmação de forma agressiva.

É necessário dar mais espaço ao jovem homem para que possa falar de sua angústia, de sua insatisfação e às vezes confusão gerada pelos modelos oferecidos e pelo que a sociedade espera do masculino na atualidade. Só assim será possível o desenvolvimento de uma identidade masculina mais saudável, menos machista e ultrapassada e também poderemos dar mais possibilidades aos homens (neste caso adolescentes ainda) de se afirmarem como masculinos por outra via que não a da agressividade.

Comments are closed.