Terapia Cognitiva

Terapia Cognitiva – Modificando emoções e comportamentos através do pensamento. Você já percebeu que as nossas emoções e atitudes podem decorrer da forma como interpretamos o mundo, ou seja, das suas cognições? Imagine-se em uma festa e um amigo íntimo passa por você sem cumprimentá-lo. O que você pensaria neste momento?

1. que fez algo que o deixou irritado;
2. ficaria com raiva e muito desapontado com ele;
3. sairia da festa chorando se sentindo o ser menos amado do mundo;
4. iria até ele, já que ele pode não ter visto você. Observe que em uma mesma situação as pessoas apresentam diferentes emoções e atitudes, o que determinará isto é o pensamento, ou seja, a forma como ela atribui significados ao real.

Terapia Cognitiva – Modificando emoções e comportamentos através do pensamento. Você já percebeu que as nossas emoções e atitudes podem decorrer da forma como interpretamos o mundo, ou seja, das suas cognições? Imagine-se em uma festa e um amigo íntimo passa por você sem cumprimentá-lo. O que você pensaria neste momento? 1. que fez algo que o deixou irritado; 2. ficaria com raiva e muito desapontado com ele; 3. sairia da festa chorando se sentindo o ser menos amado do mundo; 4. iria até ele, já que ele pode não ter visto você. Observe que em uma mesma situação as pessoas apresentam diferentes emoções e atitudes, o que determinará isto é o pensamento, ou seja, a forma como ela atribui significados ao real. O que é a Terapia Cognitiva?

A Terapia Cognitiva é um sistema de psicoterapia que integra o modelo de psicopatologia com um conjunto de técnicas e estratégias terapêuticas fundamentado diretamente no modelo cognitivo. Quem fundou a Terapia Cognitiva? Aaron Beck fundou a Terapia Cognitiva na década de 1950, professor de Psiquiatria da Universidade da Pennsylvania em Philadelphia e um renomado Psicanalista, desenvolveu um modelo de depressão, baseado em estudos empíricos, com fundamentação teórica e aplicada, que veio a originar um novo sistema de psicoterapia: a Terapia Cognitiva. Beck na época questionava se o individuo em depressão tinha raiva de si mesmo como forma de autopunição (modelo psicanalítico de raiva retroflexa), seus estudos o surpreendeu ao descobrir a relação da depressão com a Teoria dos estilos de atribuições, ou seja, o depressivo atribui a si, aos outros e ao mundo (tríade cognitiva) um sentido negativo, o que não indica em momento algum a vontade de autopunição. Afinal, quem gosta de sofrer? Qual o princípio básico desta abordagem terapêutica?

As raízes construtivistas de Piaget contribuíram também para a origem da TC no seu princípio básico de que nossas representações de eventos internos e externos, e não um evento em si, que determinam nossas respostas emocionais e comportamentais. Por isso uns tem aversão a elevadores outros não. Sendo assim, as nossas cognições disfuncionais são a causa dos transtornos emocionais, como por exemplo, ansiedade e depressão. Como funciona?Inicialmente, fazemos um levantamento de todos os seus problemas, em cada área de vida (afetiva, familiar, profissional, etc.), buscando resolução de problemas, desenvolvendo flexibilidade cognitiva, promovendo mudanças em seu padrão de pensamento, almejando mudanças em suas emoções e atitudes. Após isto, a terapia irá focalizar seu sistema de esquemas (superestruturas cognitivas que organizam nossas experiências do real e são organizados por elas, ao mesmo tempo em que guiam o foco de nossa atenção) e crenças disfuncionais, promovendo uma reestruturação cognitiva, para aumentar o seu bem estar. Por fim, o objetivo mais importante de todos, dotá-lo de técnicas para que você lide com o real de forma mais funcional e assim, que você seja o seu próprio terapeuta. As sessões ocorrem uma vez por semana, durante 50 minutos (um dos fatores de maior relevância para cultura e economia do Brasil, sendo acessível a todos). Eu sou louca? Eu sou anormal?Não, nunca foi e nunca será. Você é um ser humano, e esta questão é meramente filosófica. Em minha opinião ninguém é “anormal”, a pessoa pode estar “anormal”, no sentido de estar momentaneamente respondendo ao real de forma disfuncional, onde o maior prejudicado é ela mesma. Ai ela deve procurar ajuda. Qual a diferença entre a Terapia Cognitiva com outras formas de psicoterapia?

A TC se diferencia de outras abordagens pelo seu tempo curto e limitado (de 14 a 25 sessões) e a sua eficácia comprovada em estudos empíricos. A relação entre o terapeuta e paciente é colaborativa, ambos participam ativamente e em equipe durante todo o processo terapêutico. A Terapia Cognitiva é a Terapia Comportamental?Não. Embora ambas as abordagens sejam estruturada, com tempo curto de intervenção, definição de agenda e estabelecimento de metas, elas se diferem na visão epistemológica. A terapia Comportamental (behaviorista) propõe a observação livre da influência do observador, o objeto não é observado e sim observável. Já a Terapia Cognitiva considera os esquemas individuais como um modelo de funcionamento humano, onde a influência do observador sobre a observação esta sempre presente, considerando a subjetividade existente em cada um de nós. Por exemplo, uma pessoa que tem aversão de avião, quando exposta a este estimulo, pode usar técnicas de distração (assoviar, contar números), mas ainda assim a aversão continua mesmo com a técnica de exposição. Daí a importância do uso desta técnica a fim de promover mudanças cognitivas, para que ela não atribua o sentido de perigo ao real. Porém algumas técnicas comportamentais são fundamentais para modificação de crenças disfuncionais, e são abordagens que tem muito a oferecer trabalhando em conjunto. Se a TC se originou criando um modelo de depressão, então ela só trata depressão?De forma alguma, através de estudos empiricamente comprovados, a TC valida sua eficácia no tratamento de diversos transtornos emocionais: depressão, transtornos de ansiedade (fobias, pânico, hipocondria, transtorno obsessivo-compulsivo), dependência química, transtornos alimentares, problemas interpessoais, terapia familiar e de casal. Adultos, crianças e adolescentes, nas modalidades individuais e em grupo. Além de estudos com resultados animadores no tratamento de psicoses, de transtornos orgânicos, intervenção nas áreas de esporte, organizações e educação.

Vanessa Seibitz – Terapeuta Cognitiva- CRP: 06/78491
 

 

 

 

 

About Vanessa Seibitz

Vanessa Seibitz Psicóloga- Terapeuta Cognitiva CRP:06/78491 Consultório: Clinica Psicológica- Rua Dr. Neto de Araújo, 363-Vila Mariana- São Paulo- SP E-mail: vanessaseibitz@yahoo.com.br
Comments are closed.