Estresse antecipa menopausa, diz estudo

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Versailles, na França, revelou que mulheres que têm longas jornadas de trabalho e exercem atividades estressantes têm mais chances de entrar na menopausa mais cedo.
Uma pesquisa realizada pela Universidade de Versailles, na França, revelou que mulheres que têm longas jornadas de trabalho e exercem atividades estressantes têm mais chances de entrar na menopausa mais cedo.

O estudo, que analisou 1.500 mulheres com 50 anos ou mais, descobriu que as que trabalhavam mais de 48 horas por semana apresentaram maior tendência a iniciar a menopausa antes da idade média de 52 anos, do que as que tinham curtas jornadas de trabalho.

Para as mulheres que sofriam de estresse no trabalho, decorrentes de fatores como muita pressão para realizar várias tarefas o mais rápido possível e constantes interrupções enquanto realizam as atividades, a idade média para o início da menopausa foi de 51 anos.

Os efeitos se revelaram ainda maiores entre as que sofrem de depressão e mantêm longas jornadas de trabalho. Segundo os estudiosos franceses, essas mulheres têm duas vezes mais chances de enfrentar a menopausa antes dos 52.

A pesquisa, liderada pelo professor Bernard Cassou, estima que o estresse, combinado a longas horas de trabalho, afeta o ciclo reprodutivo feminino.

Além de antecipar a menopausa, altos níveis de estresse também podem encurtar a duração da menstruação.

Fumantes

Os estudiosos, que publicaram a pesquisa no American Journal of Epidemiology, ainda disseram que o fumo também pode antecipar a menopaus, que se caracteriza pelo fim do ciclo menstrual.

Entre as fumantes que consumiam mais de dez cigarros por dia, observou-se que a menopausa surgiu aos 50 anos de idade.

A razão para isso, dizem os pesquisadores, é que fumar acelera a deterioração dos óvulos.

A genética também revelou-se um fator determinante para o início da menopausa. Algumas mulheres estudadas chegaram ao fim do ciclo menstrual na mesma idade que suas mães.

Fonte: BBCBrasil

Comments are closed.