Diagnóstico de repertórios de leitura e escrita 2: Avaliação das dificuldades da língua

Mariana de Albuquerque Simões, Ana Paula Casagrande da Silva, Julia Zanetti Rocca e Deisy das Graças de Souza.
Universidade Federal de São Carlos

A língua portuguesa possui muitas palavras formadas por unidades regulares nas quais vogais acompanham consoantes e há correspondência ponto-a-ponto entre letra e som. No entanto, outras palavras da língua envolvem unidades irregulares com encontros consonantais ou letras que podem corresponder a sons que variam de acordo com o contexto. A aprendizagem de cada uma dessas unidades complexas ocorre como um processo independente, portanto, a avaliação das habilidades de leitura e escrita nas diferentes dificuldades da língua pode orientar o professor no processo de ensino. Esse estudo pretende realizar um mapeamento inicial do desempenho de crianças de nove a onze anos em tarefas de nomeação, seleção, cópia e ditado com palavras contendo 25 dificuldades da língua. Inicialmente, foi realizado um ditado em sala de aula, contendo 16 palavras com dificuldades da língua. Quinze crianças obtiveram índices menores que 66,7% e foram selecionadas para realizar o Diagnóstico de Repertórios de Leitura e Escrita (DLE-2). Essa avaliação informatizada é composta por treze tarefas: sete de seleção, duas de nomeação, duas de ditado e duas de cópia. As tarefas apresentam 25 tentativas, cada uma avaliando uma dificuldade da língua separadamente. Os resultados obtidos nas tarefas de seleção foram bastante diferentes entre si, portanto, possivelmente algumas dessas tarefas são mais úteis na descrição do repertório das crianças do que outras. Os resultados nas tarefas que relacionam palavras impressas e figuras e palavras ditadas e palavras impressas se distribuíram diferencialmente entre as crianças e entre as dificuldades, demonstrando-se úteis na discriminação de desempenhos. Entretanto, para as demais tarefas de seleção, a grande maioria das crianças obteve 100% de acerto – resultados que não cumprem a função de representar diferencialmente repertórios. O mapeamento do desempenho nas dificuldades foi realizado através da avaliação dos resultados médios de todas as tarefas. Essa análise possibilitou o estabelecimento de uma hierarquia entre as dificuldades, das mais difíceis para as progressivamente mais fáceis. A comparação dos índices de leitura e escrita também permitiu a diferenciação entre aquelas que são mais facilmente lidas que escritas, aquelas que obtém resultados similares em ambas as tarefas e aquelas que são mais facilmente escritas que lidas. Esses resultados são preliminares, mas apontam para a importância da avaliação eficiente e diferencial das habilidades na leitura e escrita de palavras com dificuldades da língua.

Projeto financiado pelo CNPQ.

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.

Comments are closed.