Estudo aponta que 38,4% do índios brasileiros consomem álcool

Dos índios brasileiros, 38,4% consomem álcool e deste total, 49,7% gostariam de parar de beber, mas não conseguem – 46% chegaram a pedir ajuda, sem sucesso, à família, ao médico, à igreja ou a amigos.

Dos índios brasileiros, 38,4% consomem álcool e deste total, 49,7% gostariam de parar de beber, mas não conseguem – 46% chegaram a pedir ajuda, sem sucesso, à família, ao médico, à igreja ou a amigos.

Os dados são de estudo da Secretaria Nacional Anti-Drogas (Senad) e foram apresentados hoje (22), juntamente com o 1º Levantamento Nacional sobre os Padrões de Álcool na População Brasileira.

O consumo de álcool é considerado "um grande problema" nas tribos indígenas, segundo a secretária adjunta da Secretaria Nacional anti-Drogas (Senad), Paulina Duarte. Foram pesquisadas 11 comunidades indígenas de sete diferentes etnias, com 1.455 entrevistados.

Para que os índios não se sentissem intimidados, o estudo utilizou técnica de terapia em grupo e foi acompanhado por um psiquiatra e um psicólogo. "A metodologia usada é uma abordagem grupal, que tem muito a ver com a cultura indígena", na avaliação do ministro da Saúde, José Gomes Temporão.

Para garantir uma amostra nacional do problema, um geógrafo e três antropólogos também participaram da pesquisa, que faz parte do Projeto de Prevenção do Uso de Álcool entre as Populações Indígenas, realizado pela Senad em parceria com a Fundação Nacional do Índio (Funai). O resultado ajudará a nortear as políticas públicas para esse segmento.

Na comparação entre gêneros, 50% dos homens indígenas consomem álcool, contra 21% das mulheres. A bebida mais consumida é a cerveja (67,6%), seguida da cachaça (41,9%) e do vinho (14,8%). O levantamento revela que os índios começam a beber aos 17 anos, enquanto para o restante da população brasileira a idade inicial é de 13 anos, em média.

"Apesar de começarem mais tardiamente, o dado é preocupante porque é um consumo alto, um nível elevado de consumo regular", observou o ministro da Saúde.

Segundo Paulina Duarte, agentes de saúde e lideranças nas comunidades indígenas deverão ser capacitadas, e estão previstas políticas específicas para o fortalecimento das redes de assistência existentes nas comunidades e municípios vizinhos. Uma das constatações da pesquisa é que os índios consomem, em suas aldeias, bebidas alcoólicas compradas nas rodovias e nos centros urbanos de municípios vizinhos.

Fonte: BOL Notícias

Comments are closed.