Feedback: A Importãncia Do Comportamento Assertivo No Desempenho Dos Empregados

Marilsa de Sá Rodrigues Tadeucci*; Renata Graziela César do Amaral Universidade de Taubaté

Este estudo teve por objetivo analisar o comportamento assertivo na situação de feedback no processo de inter-relação chefia e subordinado. O feedback tem papel decisivo nas relações de trabalho uma vez que podem diminuir as incertezas e ansiedades dos funcionários, garantir a qualidade do trabalho pela correção imediata das falhas, evitar erros reincidentes, diminuir a rotatividade, aumentar a produtividade, garantir a credibilidade da liderança perante seus subordinados, a possibilidade de aprendizagem constante e o sistema de avaliação de desempenho ganha significado.Para alcance do objetivo proposto foi realizada uma pesquisa de campo com uma amostra composta por dezoito gerentes e vinte e dois funcionários operacionais. Como instrumento para coleta de dados foram aplicados três questionários no grupo gerencial: sendo dois para aferir no nível de assertividade e um terceiro para medir o grau de feedback fornecido de acordo com a percepção dos respondentes. No grupo operacional foi aplicado um questionário para medir o grau de feedback percebido pelos respondentes operacionais. Estes instrumentos foram extraídos de material publicado e disponível para utilização.

Os principais resultados apontam para o perfil da amostra referente ao grupo gerencial quanto ao gênero são 22%feminino e 78% masculino, quanto à escolaridade 83% são pós-graduados e a faixa etária predominante é dos 36 aos 50 anos. Quanto aos respondentes do nível operacional apenas 14% possuem nível de pós-graduação e os demais nível superior.Foram avaliadas também as freqüências com que o feedback é fornecido e constatou-se que 73% dos gerentes afirmam que raramente aplicam o feedback formalmente quanto aos respondentes operacionais afirmam que só recebem feedback quando o desempenho é negativo, assemelhando-se a uma punição. Existe uma discrepância entre a percepção do comportamento da chefia quanto ao estabelecimento de metas para aumento ou correção do desempenho, pois apenas 36% dos funcionários confirmam que negociam as metas contra 82% dos gerentes que afirmam discuti-las. Quanto aos resultados de assertividade constatou-se que 94% dos gerentes apresentam bons índices de assertividade, no entanto este comportamento não é percebido pela maioria dos liderados, como se pode comprovar pelos resultados anteriores.Conclui-se que os níveis de comportamentos assertivos encontrados nas respostas dos gerentes, mas não percebido pelos liderados, podem ter algumas causas, como a desejabilidade de corresponder a um comportamento socialmente esperado que pode ter influenciado as respostas dos sujeitos pesquisados. Outra hipótese é que o comportamento dos gerentes, do ponto de vista da análise funcional tem como conseqüente a manutenção da autoridade perante o grupo de comando prevalecendo, portanto, muito mais os comportamentos agressivos e os não assertivos nos processos de comunicação de resultados de desempenhos.

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.
Comments are closed.