Formação De Classes De Estímulos Equivalentes E Transferência De Funções Ordinais Em Criança: Estudo De Caso 2

Juliana Barbosa Consoni, Ana Carolina Sella, Prof. Dr. Celso Goyos Universidade Federal de São Carlos

Os resultados da literatura de equivalência de estímulos têm apontado que o uso de estímulos familiares pode tanto facilitar, como dificultar a formação de classes de estímulos equivalentes. O presente estudo teve por objetivo investigar se o uso de 12 palavras familiares impressas, divididas entre quatro conjuntos de estímulos, levaria à formação de três classes de estímulos equivalentes, denominadas sujeitos (classe 1), verbos (classe 2) e complementos (classe 3). Primeiramente, foi realizado um pré-teste das relações condicionais a serem treinadas. Em uma tentativa de acelerar o processo de aprendizagem da primeira relação condicional, foi utilizado um procedimento de ensino em passos das relações AC. Na primeira sessão, apresentaram-se as relações A1C1 e A2C2. Na segunda sessão, as relações A1C1 e A3C3 e na terceira sessão, apresentou-se A2C2 e A3C3. Apenas após estas sessões as três relações AC foram apresentadas em conjunto. Logo em seguida, as relações BC foram treinadas. Após o treino individual, houve um treino conjunto destas relações. Em seguida, foi aplicado o teste de linha de base para as relações AC e BC (taxa de reforço reduzida a 0%), e também o de simetria e o de equivalência, específicos para as relações anteriormente treinadas. Participou da pesquisa um menino de sete anos que cursa o primeiro ano do ensino fundamental de uma escola pública de São Carlos.

A exposição do participante às sessões em passos em tarefas de escolha de acordo com o modelo resultou em um menor número de tentativas para alcance de critério de desempenho do que aquele da participante que foi exposta ao procedimento de escolha de acordo com o modelo que continha os três estímulos comparação. Na primeira sessão de exposição do participante a tentativas com três estímulos comparação de AC, ele emitiu todas as respostas de escolha corretamente. Para alcançar critério de desempenho em BC, o participante precisou de apenas uma sessão. O participante alcançou critério nos testes de simetria com apenas uma exposição à tarefa, porém, nos testes de equivalência, errou uma tentativa de linha de base. A seguir, o participante será re-exposto às relações de linha de base. Depois haverá o treino individual de DC. Logo a seguir, será apresentado o treino conjunto de DC e AC e seu posterior teste de linha de base, de simetria e de equivalência,específicos para estas relações. Para finalizar esta fase, será realizado o treino conjunto de DC e BC e seus respectivos testes. Após terminar a fase de ensino das relações condicionais e respectivos testes, treinar-se-á a seqüência de estímulos A1?A2?A3 e verificar se há transferência da função ordinal dos estímulos para as seqüências B1–>B2–>B3; C1–>C2–>C3; D1?D2?D3; A1?D2?C3, B1?C2?D3, C1?A2?B3 e D1?B2?A3.

Agência de fomento: CAPES

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.
Comments are closed.