Sobre A Caracterização Do Behaviorismo De Watson E Do Behaviorismo Metodológico Na Literatura Brasileira

Bruno Angelo Strapasson Universidade Estadual Paulista – Campus de Bauru

O Behaviorismo Radical é freqüentemente caracterizado em contraposição ao Behaviorismo Metodológico(BM) e freqüentemente John B. Watson é usado como emblemático desse último behaviorismo. Contudo, diversas concepções de BM são possíveis e o compromisso de Watson com cada uma dessas concepções deve ser cuidadosamente examinado sob pena se deturpar a compreensão (1) do próprio BM (no caso de se formar uma identidade entre a obra de Watson e o BM), (2) da obra de Watson (no caso de se atribuir os problemas filosóficos implícitos no BM à obra de Watson) e (3) do Behaviorismo Radical de Skinner (na medida em que ele poderá ser contraposto a características não necessariamente presentes na teoria ao qual é comparado).

O presente trabalho visou avaliar as caracterizações de BM e do Behaviorismo Watsoniano presentes na literatura brasileira. Buscou-se na Biblioteca Virtual de Saúde em Psicologia(BSV-PSI) e na coleção Sobre Comportamento e Cognição(SCC). Na BSV-PSI foram utilizadas as palavras-chave “Behaviorismo Metodológico”, “Behaviorismo Clássico” e “Behaviorismo Watsoniano”, Na coleção SCC foram lidos todos os artigos agrupados nas sessões teorias dos volumes 1 ao 18 e nos que não haviam tais sessões uma busca pelos títulos e leituras dos capítulos conceituais relacionados a caracterização do Behaviorismo Radical ou sobre a temática dos eventos privados (tópico central na diferenciação dos Behaviorismos Radical e Metodológico). Os trechos que mencionavam o BM ou o Behaviorismo Watsoniano foram destacados e analisados em contraposição a obra de Watson.

Foram selecionados 4 artigos e 7 capítulos que mencionavam algum dos behaviorismos em questão com alguma descrição. Nessas obras, foram evidenciadas caracterizações que incluem: (a) o BM aceita a existência da mente mas a ignora em seu projeto científico (O BM seria dualista), (b) o BM é igualado ao operacionismo de Boring e Stevens na psicologia (O BM seria operacionista), (c) o BM é sinônimo da psicologia S-R (O BM seria comprometido com a noção de causação antecedente), (1) Watson é indicado como comprometido com o BM, (2) Watson é considerado o fundador do BM, (3) Watson não pode ser considerado um behaviorista metodológico, (4) Watson foi considerado um dualista mas não um behaviorista metodológico sem maiores explicações. Asserções que combinavam a1, a2 formaram a maioria das caracterizações (4 em 11) e a única asserção que se utilizou da caracterização c não mencionou Watson em sua formulação. Baseando-se na obra de Watson sugere-se que ele adere a um monismo fisicalista, afastando-se assim do dualismo e de sua possível classificação como behaviorista metodológico. Se essa posição estiver correta a classificação de Watson comprometido com o BM é incorreta e faz um desserviço à historiografia do Behaviorismo especialmente quanto a caracterização do Behaviorismo de Watson, do BM e, como conseqüência do Behaviorismo Radical de Skinner. O autor agradece à FAPESP (bolsa de mestrado, proc. 06/53396-5) pelo apoio recebido.

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.
Comments are closed.