Ilusão e Psicoterapia – Um estudo sobre o campo transferencial

Resumo:

O artigo traz uma reflexão sobre o papel da ilusão e do pensamento mágico no processo psicoterapêutico, fazendo um paralelismo entre a prática do xamã segundo uma análise antropológica, e a prática do psicanalista. Trata-se de uma reflexão teórica a partir de textos de psicanalistas – Sigmund Freud (1856-1939), Melanie Klein (1882-1960), Donald Woods Winnicott (1979-1983) – pensando a noção de transferência articulada à idéia de eficácia simbólica de Lévi-Strauss.O encontro entre paciente e psicanalista pressupõe a existência da necessidade de ampliação da compreensão do paciente acerca de si mesmo, e atribui ao analista, não só o papel de ampliar a consciência do paciente, como o poder de fazê-lo, sendo esta uma condição reconhecida para que uma análise aconteça.Para ilustrar o fenômeno do campo transferencial e a destinação terapêutica que pode ser possibilitada pela interpessoalidade, haverá uma discussão sobre o caso clínico que foi publicado no livro “Memória Corporal e Transferência”, da psicanalista Ivanise Fontes.

Clique no link abaixo para ler o artigo na íntegra

Comments are closed.