psicopompo

A figura que guia a alma em ocasiões de iniciação e transição: uma função tradicionalmente atribuída a Hermes no mito grego, pois ele acompanhava as almas dos mortos e era capaz de transitar entre as polaridades (não somente a morte e a vida, mas também a noite e o dia, o céu e a terra). No mundo humano, o sacerdote, xamã, feiticeiro e médico são alguns que foram reconhe­cidos como capazes de preencher a necessidade de orientação e me­diação espirituais entre mundos sagrados e seculares. Jung não al­terava o significado da palavra, porém a usava para descrever a função da anima e animus em conectar uma pessoa a um senti­mento de seu propósito último, sua decisiva vocação ou destino; em termos psicológicos, atuando como um intermediário ligando o ego e o inconsciente.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.