ópio

Um hipno-analgésico obtido a partir do suco das sementes verdes das papoulas. O suco é exposto ao ar para que seque, formando uma substância castanha e pastosa, a qual é depois submetida a nova secagem e reduzida a pó co­mercialmente a fim de produzir os opiatos (isto é, a morfina e seus produtos de transformação). Todos os opiatos são, potencialmente, drogas viciantes, como no caso dos analgésicos sinté­ticos; a morfina possui talvez a maior potencia­lidade nesse sentido, seguida pela heroína, a Dolantina, o Demerol, a Metadona e a codeína, por esta ordem. Por ser mais fácil introduzi-Ia ilegalmente no país, a heroína é, desse grupo, o produto mais comumente usado pelos vicia­dos em opiatos, pelo menos nos USA. Todos os opiatos se caracterizam pelo de­senvolvimento de um elevado grau de tolerân­cia em seus usuários, e graves síndromes de privação ou abstinência são, portanto, a regra.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.