xenoglossia

Falar em uma língua estran­geira, quando o uso desta língua não é apro­priado para a situação (ou seja, a língua estran­geira é utilizada para impedir, e não aumentar, o poder comunicacional) e/ou as palavras são uma pseudolinguagem ou uma coleção de me­táforas particulares que só o sujeito que as pro­nuncia pode entender. De modo menos comum, os termos são usados para indicar uma aversão que a pessoa tem a qualquer situação na qual não se está falando sua própria linguagem na­tiva. Do ponto de vista religioso, diz-se que no dia de Pentecostes, quando os apóstolos de Jesus receberam o dom do Espírito Santo, falaram línguas estranhas.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra - Pós-doc em Filosofia Membro do Viktor Frankl Institute Vienna Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.