terror noturno

Pavor noturno; tipo raro de pertur­bação do sono que difere do pesadelo "… na medida em que a criança não desperta comple­tamente e não recorda o incidente. Geralmente ela é encontrada sentada na cama ou de pé, ou correndo, muito agitada e chorando alto. Com freqüência, há alucinações de pessoas estranhas ou animais no quarto. A criança fica desorientada e, nos primeiros momentos, não reconhece as pessoas à sua volta. Os ataques abrandam após alguns minutos e a criança recai no sono sem recordar o episódio. Às vezes, pode ser necessário despertar completamente a criança para terminar o ataque". (Bakwin, H. & Bakwin, R. M., Clínical Management of Beha­vior Disorders in Children, 1953) Em contrapo­sição a essa definição, que é geralmente aceita pelos investigadores americanos, Ernest Jones considera o terror noturno um termo mais amplo do que pesadelo, que ele acredita ser uma condição muito rara e especial.

O terror noturno geralmente ocorre durante os períodos de atividade delta no EEG (ou seja, nas fases 3 e 4 do sono), e não durante o sono REM. Não há evidências de atividade elétrica cerebral anormal durante o sono de crianças afetadas.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.