MAIMÔNIDES, (Moisés Ben Maimón) (1135-1204)

Moisés Ben Maimón nasceu em uma família de rabinos e dignitários de Córdoba. As per­seguições dos almôadas obrigaram a sua fa­mília a deixar Córdoba. Em 1148, foram para o Sul da Andaluzia. Dez anos depois, refugia­ram-se em Fez e chegaram ao Cairo em 1165, onde Maimônides se tornaria médico da corte e grande rabino da comunidade judaica do Egito.

Filósofo talmudista de renome, amigo de Averróis, Maimônides também deixou uma importante obra médica, escrita em árabe e posteriormente traduzida para o hebraico. Entrando em 1198 para o serviço do filho mais velho do sultão Saladim, o emir EI Afdhal, que sofria de perturbações provavel­mente de natureza maníaco-depressiva, dedi­cou-lhe dois dos seus livros, o Tratado sobre a conservação da saúde e o Discurso sobre a explicação das crises, para "ajudá-Io a suportar e a tratar os seus ataques de melan­colia". As referências etiopatogênicas se­guiam a mais pura tradição humoral de Hipó­crates e de Galeno. No que se refere à tera­pêutica, Maimônides, partidário do "justo equilíbrio" entre o corpo e o espírito, propu­nha um tratamento moral avant la lettre, es­sencialmente higiênico e dietético, à base de distrações: esportes, música, gastronomia, e "tudo o que pudesse alegrar o coração".

Falecido em EI Fustât, bairro do velho Cairo, em 1204, Maimônides, "a águia da Sinagoga", como o apelidaram os cristãos, seria inumado nas margens do lago de Tibe­ríades.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.