BARTHET, Joseph (1806-1863)

Tem-se poucas referências sobre a vida de Barthet: americano de provável origem fran­cesa, viveu em Nova Orleans entre 1840 e 1850, esteve em Bruxelas em 1848, deixou os Estados Unidos no momento da Guerra de Secessão e morreu em 1863 em Paris.

O interesse desse personagem reside no papel que ele desempenhou na Société du Magnétisme de Ia Nouvelle-Orléans (que ti­nha esse título francês), da qual foi presi­dente, e nas relações que manteve com o barão Dupotet. A comunidade intelectual de Nova Orleans estava então dividida em fun­ção da língua: desde 1819, coexistiam, por exemplo, uma Société Médicale e uma Phy­sico-Medical Society. A Société Magnétique, exclusivamente de língua francesa, que agru­pava (em 1848) 70 membros, dos quais dois médicos e dois cirurgiões-dentistas, celebra­va todos os anos, no dia 15 de março, a "festa de Mesmer", e todas as semanas era realizada uma sessão em que se apresentava um doente tratado pelo mesmerismo (o termo hipnotis­mo, lançado por Braid em 1843, ainda não era usado). Havia também uma livraria es­pecializada e cursos práticos. Dupotet, em seu Joumal du Magnétisme, prestaria home­nagem, em 1850, a Joseph Barthet, ativo presidente da sociedade que teve mais suces­so entre todas as que se criaram fora de Paris para a propagação do magnetismo.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra - Pós-doc em Filosofia Membro do Viktor Frankl Institute Vienna Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.