BENTHAM, Jeremy (1748-1832)

Se citamos aqui esse publicitário londrino, filho de um attorney (jurista) e autor, em 1817, de um "Quadro das fontes de ação", no qual desenvolveu uma filosofia neoepicuris­ta, egoísta e utilitária, segundo a qual o interesse é o único móbil de nossos atos, é principalmente porque foi ele que concebeu, em 1791, o Panopticon, dispositivo arquite­tônico que preconizava, quando se devia pla­nejar um estabelecimento (asilo ou prisão) destinado à vigilância. O Panopticon típico era um edifício circular, comportando uma sala central destinada ao guarda, de onde se irradiavam certo número de células in­dividuais, que se abriam para uma rotunda central por uma grade e para o exterior por uma janela. Um asilo construído de acordo com esse esquema foi inaugurado em dezem­bro de 1814 em Glasgow, segundo a planta "em estrela" do arquiteto William Stark, que também realizaria o asilo de alienados de Dundee (este segundo uma planta em H, retomada depois em York, a conselho de Samuel Tuke).

Destinou a maioria dos seus trabalhos à França, submeteu à Assembléia Constituinte muitos projetos sobre impostos, sobre a jus­tiça e sobre as colônias, recebeu da Conven­ção o título de cidadão francês, e, querendo ser útil além da morte, desejou que seus restos mortais servissem para dissecação.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.